Precisamos falar do VAR

Precisamos falar do VAR

Árbitro de vídeo salva Copa do Brasil

Vinnicius Silva/Cruzeiro

A semana que passou ficou marcada pela decisão mais importante que o VAR teve no futebol brasileiro. O árbitro de vídeo foi imprescindível na decisão entre Cruzeiro e Corinthians na Copa do Brasil.

Até discuto o pênalti de Thiago Neves em Ralf, mas a falta em Dedé que levou à anulação do gol de Pedrinho foi perfeita. No momento do lance conversava com um amigo sobre o ocorrido e ele me disse: “foi o maior anticlímax”. Concordo, mas nem sempre a justiça é bonita. Às vezes, para haver justiça, há frustração. O VAR impediu um campeão ilegítimo.

Chegamos então a rodada do campeonato brasileiro organizado pela mesma CBF responsável pela Copa do Brasil. Alegando falta de recursos para pagar a tecnologia, a confederação não adotou o árbitro de vídeo. Resultado: o Botafogo perdeu para o Bahia com um gol em impedimento. Com o VAR seria relativamente tranquilo invalidar o lance. O alvinegro perdeu o chamado “jogo de 6 pontos” num erro da arbitragem.

Sport e Vasco também foi um jogo que a ferramenta tecnológica poderia deixar o jogo mais justo. O time de São Januário perdeu por 2 a 1 e foi ajudado e prejudicado pela arbitragem. Houve impedimento no lance de seu gol. No entanto, Giovanni Augusto foi derrubado dentro da área no fim do jogo. O auxiliar que fica atrás do gol não teve coragem para marcar o pênalti contra o time da casa. A questão a se pensar é que numa estrutura que se pretende profissional ficar sujeito ao erro do juiz é inadmissível. Outra coisa lamentável foi a cera feita pelo time pernambucano. No entanto, ninguém envolvido no espetáculo parece notar a corrosão que isso provoca no nosso futebol.

Falando de cera, lembrei do Diego Alves. Assim como Cássio, do Corinthians, o goleiro do Flamengo é adepto ao antijogo. Se o Flamengo está na frente, ele começa a enrolar ainda no primeiro tempo. É o tipo de “experiência” e “malandragem” que me tiram do sério, mesmo que seja o meu time que esteja fazendo. Pois bem, o arqueiro rubro-negro se irritou por ter perdido a posição para César e se recusou a viajar com a equipe a Curitiba.

A diretoria vai estudar para ver o que fará com a indisciplina. O episódio mostra algumas coisas. A primeira, jogadores como Diego Alves tinham se “apoderado da alma” de Mauricio Barbieri. Eles o apoiavam porque o técnico mantinha os medalhões. Com Dorival, a situação é diferente. Diego Alves se rebelou. Agindo assim, o jogador mostra desrespeito ao clube e ao colega de profissão.

Esses jogadores mimados devem entender que foram contratados como atletas do Flamengo e não para jogar compulsoriamente. Conquiste a posição dentro de campo. Diego Alves falhou no segundo do gol contra o Corinthians, no jogo que selou o ano do time. Não é um atleta inquestionável. Se quiser ir embora, não é uma peça de reposição difícil.

O mesmo já não acontece com Diego Ribas. Com a saída de Paquetá para o Milan, seria importante a diretoria começar a pensar na renovação com o camisa 10. No momento ele é reserva da jovem promessa. Mas no ano que vem, sua experiência será fundamental para que 2019 não comece com terra arrasada.

Quanto ao brasileiro, está muito difícil parar o Palmeiras de Luiz Felipe Scolari. No entanto, o Flamengo de Dorival Júnior fez 10 gols nos três últimos jogos. Se há um time que pode medir forças com o time de Felipão, essa equipe é o Flamengo.

 

Por Creso Soares

Primeira rodada da Copa

Primeira rodada da Copa

Surpresas e o VAR em ação

A Copa do Mundo da Rússia demorou, mas pegou no tranco. Praça vermelha lotada de turistas, especialmente de torcedores peruanos, argentinos, colombianos e brasileiros, vinte e quatro horas de programação nas televisões, mostrando cada detalhe das partidas, lances polêmicos discutidos em exaustão, e muitas, mas muitas matérias sobre o país anfitrião. Já aprendi que o árbitro de vídeo se tornou o paraquedas do juiz, já vi tantas vezes histórias sobre o sisudo povo russo, a tradição das Matrioskas, a origem do Strogonoff, a dinastia Romanov e os bunkers de Stalin e toda a imprensa tentando arranhar algumas palavras em russo.

Mas, nessa primeira rodada da fase de grupos o que mais chamou atenção, além do estranho corte de cabelo do Neymar, foram algumas surpresas nos jogos. A seleção da Rússia, apontada como azarão em seu grupo, quebrou o tabu de meses sem vitórias e goleou a Arábia Saudita sem piedade. Tudo bem…os árabes são fracos, mas aposto que o inesperado resultado derrubou muita gente nos bolões. A vitória despertou a torcida russa, que não demonstrava tanto interesse na competição. Os árabes deixaram o campo envergonhado e foram multados pela Federação pelo vexame na abertura da Copa. E para piorar a situação dos sauditas, o avião da seleção pegou fogo.

No outro jogo do Grupo A, o Uruguai, que vive às custas do passado glorioso, venceu o Egito por 1 a 0, mas não empolgou. O ataque Cavani- Suarez não funcionou e o atacante do Barcelona esteve em um dos seus piores dias. Os egípcios decidiram poupar o craque Salah, decisão arriscada, mas cautelosa. Num torneio curto não dá tempo para optar por certas escolhas. Uruguai, Egito e Rússia brigam por duas vagas. Os árabes vão precisar coçar o bolso para pagar futuras multas.

O jogo entre Marrocos e Irã pelo Grupo B foi um dos piores da Copa até o momento. Sem grandes chances de gols, o Marrocos pressionou, mas os iranianos venceram a partida. As duas seleções farão figuração nessa chave que conta com Portugal e Espanha, que fizeram o melhor jogo da Copa. Portugal não tem um grande time, mas conta com Cristiano Ronaldo. O português carrega o time nas costas e foi o responsável pelo empate. Sofreu um pênalti e fez, bateu de fora da área e De Gea aceitou e com um golaço de falta arrancou um ponto importante. O time da Espanha, apesar da mudança de treinador as vésperas da Copa, é muito sólido e se credencia como uma das seleções favoritas para a Copa.

O jogo entre França e Austrália inaugurou o uso do árbitro de vídeo. Um pênalti marcado para cada lado com a ajuda do VAR. A França jogou para o gasto, mas a Austrália pode complicar a vida de Peru e Dinamarca. Os peruanos que voltaram a Copa depois de 36 anos, tiveram a chance de matar o jogo contra a Dinamarca, mas Cueva fez o favor de perde um pênalti e isolar a bola para os lados do Morumbi. E o Guerrero? O atacante do Flamengo entrou no meio do segundo tempo, teve boas chances, mas a Dinamarca matou o jogo numa bola isolada. Gareca deu mole ao deixar Guerrero no banco, mas os peruanos ainda têm uma pequena chance de passar nesse grupo.

Maradona acendeu seu charuto para comemorar uma vitória sobre a Islândia, mas viu uma Argentina apagada, com Messi perdendo pênalti e o adversário jogando com onze homens atrás, segurando o resultado. Apesar da estreia decepcionante dos Hermanos, a Argentina tem boas chances de passar para a outra fase. Na outra partida do Grupo D, o habilidoso time da Croácia, com Modric no meio, não teve dificuldades para vencer a Nigéria por 2 a 0.

Soccer Football – World Cup – Group D – Argentina vs Iceland – Spartak Stadium, Moscow, Russia – June 16, 2018 Former Argentina player Diego Maradona watches from the stand REUTERS/Carl Recine

 

No Grupo do Brasil, Costa Rica e Sérvia fizeram um jogo corrido, Navas fechou o gol, mas a seleção europeia saiu com a vitória. Costa Rica não deve repetir o feito da Copa passada e deve ir embora mais cedo. E o Brasil? Muito mal, pouco inspirado e reclamando muito da arbitragem. Faltou humildade a seleção para reconhecer que não fez uma grande partida e resolveu jogar o fiasco da estreia na conta do árbitro. Ele errou, com certeza. No entanto, havia uma expectativa muito grande em cima da seleção brasileira e isso gerou frustração nos torcedores. Neymar fora de ritmo teve atuação apagada e Coutinho foi um dos destaques do sonolento time brasileiro.

A maior surpresa nessa primeira rodada foi a derrota da atual campeã para a boa, rápida e habilidosa seleção mexicana. A Alemanha perdeu porque jogou abaixo do esperado e o México teve uma atuação primorosa, com direito a olé da torcida durante o jogo. No outro jogo do grupo, os suecos tiveram a ajuda do VAR e venceram a Coréia do Sul para o 1 a 0. Mesmo com a derrota dos alemães na estreia, acho que os campeões do mundo vão passar de fase e corremos o sério risco de encará-los nas oitavas.

Pelo Grupo G, a fantástica geração belga, que nunca venceu nada, goleou a estreante seleção do Panamá por 3 a 0. Como o grupo é muito fraco, a Bélgica passará de fase com tranquilidade, mas só poderemos analisar as chances no decorrer da Copa. Camisa pesa e eles não tem tradição. O English Team, renovado e com uma molecada talentosa, venceu a Tunísia e vai se classificar para as oitavas. O jogo entre as duas seleções europeias decide o primeiro colocado do grupo.

 Belgium’s Romelu Lukaku celebrates after he scored his side’s third goal during the group G match between Belgium and Panama at the 2018 soccer World Cup in the Fisht Stadium in Sochi, Russia, Monday, June 18, 2018. (AP Photo/Matthias Schrader)

Finalmente, pelo Grupo G, o Japão surpreendeu e venceu a Colômbia por 2 a 1. Os nipônicos tiveram uma ajuda no início da partida, quando o colombiano Sánchez cortou um chute com a mão, árbitro aponta pênalti para o Japão no início do jogo. Se fosse na época de Pablo Escobar, ele não deveria pisar no país novamente…No último jogo da primeira rodada, Senegal deu e primeira alegria para a África na Copa ao derrotar a Polônia por 2 a 1  , com uma ajuda incrível da zaga polaca. Que venha a segunda rodada, amigos!

Por Alexandre Araújo