Maracanazo ou Mineirazo?

Maracanazo ou Mineirazo?

“As Copas perdidas em casa”

Com a proximidade da Copa do Mundo da Rússia, torna-se impossível não relembrar a última edição do torneio mundial de Seleções. Vencida pela Alemanha, que derrotou por 1×0 a Argentina em pleno Maracanã, a Copa do Mundo de 2014 ficou marcada pela goleada histórica e humilhante de 7×1 que os campeões, contando com Müller, Özil, Kross e Neuer, aplicaram em nós anfitriões (de Fred, David Luiz, Felipão e Bernard, “o menino da alegria nas pernas”), na semifinal disputada no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte-MG (o “Mineirazo”). Aquela era a segunda vez que o Brasil sediava a Copa e tal como na primeira, não levantou o caneco.

Em 1950, em uma Maracanã (construído especialmente para o torneio) completamente lotado por 173.850 torcedores, a Seleção Brasileira, de Ademir Menezes, Friaça e Barbosa, saiu derrotada para os uruguaios, de Ghiggia, Schiaffino e Varela, por 2×1, quando todos, inclusive imprensa e dirigentes já davam como certa a vitória canarinha desde a véspera da final.

Uruguay player Ghiggia scores during the World Cup Final, against Brazil, in the Maracana Stadium in Rio de Janeiro, Brazil, July 16, 1950 . Uruguay defeated Brazil 2-1 to win the Rimet Cup. (Ap Photo)

Mas afinal, qual das duas derrotas em casa foi mais dolorosa: o Maracanazo ou Mineirazo?

Tentando responder e entender as duas realidades, Ahmad Samir Nobrega lançou em 2015 o livro “As Copas perdidas em casa” pela Editora Multifoco, uma leitura obrigatória para todos os brasileiros a menos de um mês da edição de 2018 da Copa:

Passados 64 anos desde o gol de Ghiggia na final de 1950, no famoso Maracanaço, o Brasil atravessou mudanças e evoluções sociais significativas e a seleção nacional conquistou cinco títulos mundiais de futebol. Em 2014, o clima foi de apreensão, por conta das manifestações e das contrariedades da nova Copa do Mundo brasileira. Com o propósito de refletir o atual estado da sociedade e do futebol do país, ‘’As Copas Perdidas em Casa’’, apresenta e narra a história, dentro e fora das quatro linhas, de dois mundiais realizados no país da bola, discutindo a importância da derrota do selecionado brasileiro de 1950 e ainda buscando os porquês e as consequências do chocante Mineiraço, a maior derrota da seleção em sua história. Gol da Alemanha”.

Contendo 236 páginas, “As Copas perdidas em casa” pode ser encontrado no site da Editora Multifoco.

Igor Serrano