Vettel sacode a poeira do deserto

Teve de tudo no Bahrein

Sebastian Vettel, mais uma vez, deu um verdadeiro show no GP do Bahrein neste domingo, na segunda etapa da temporada 2018 na Fórmula 1. O piloto da Ferrari saiu da pole e com uma estratégia de pit perfeita (uma parada a menos inclusive) triunfou no grande prêmio número 200 da carreira. Neste início de campeonato, Sebastian tem demonstrado ser novamente o competidor com a sorte natural dos grandes campeões. Na cola, Valtteri Bottas chegou em segundo. Já Lewis Hamilton fez uma prova de recuperação após receber uma punição pela mudança do câmbio durante os treinos e fechou o pódio em terceiro lugar. A prova teve vários pegas e disputas. Foi bonito de se ver!

Formula 1 F1 – Bahrain Grand Prix – Bahrain International Circuit, Sakhir, Bahrain – April 8, 2018 Ferrari’s Sebastian Vettel celebrates on the podium after winning the race REUTERS/Hamad I Mohammed

O destaque negativo do dia foi um incidente com o mecânico de Kimi Raikkonen nos boxes: o integrante da Scuderia italiana teve a perna esquerda fraturada após ser atropelado pelo carro de Kimi durante o pit stop. Apesar da cena terrível o quadro de saúde do membro da equipe de Raikkonen é estável. Este foi o momento mais tenso da prova já que um festival de erros aconteceu durante a parada: primeiro a roda não saiu, depois o sinal para liberar o piloto (a luz verde) foi acionado equivocadamente. Nenhuma culpa do piloto na história. Kimi precisou abandonar a corrida ainda nos boxes. Vale lembrar que até é comum o posicionamento da perna dos mecânicos a frente da roda, porém é um risco permanente.

 

Como destaques positivos, além de Vettel que segurou a onda muito bem nas últimas voltas mesmo com os pneus extremamente desgastados (tática arriscada de não parar pela segunda vez), Bottas teve um excepcional desempenho. O francês Pierre Gasly também. O novato foi outro que fez uma prova de recuperação e chegou em quarto lugar. Justamente com os famosos e até então polêmicos motores da Honda, que desta vez renderam até mais do que o esperado.

 

Festa total no time B dos energéticos na Fórmula 1! A galera nos pits parecia não acreditar em um resultado tão animador logo no início de trabalho com a montadora nipônica. Gasly correu com segurança e regularidade derrotando Brendon Hartley dentro do mesmo time. Muitos não esperavam por isto! Ainda sobre o GP é possível separar um momento épico e emocionante do evento.  A ultrapassagem tripla do atual campeão Lewis Hamilton em plena reta dos boxes! O inglês, sempre preciso e agressivo na condução do carro, colocou por dentro e levou a melhor em cima de Alonso, Hulkenberg e Ocon. Certamente a ação será relembrada várias vezes como uma das melhores manobras! Hamilton é talento puro!

Formula 1 F1 – Bahrain Grand Prix – Bahrain International Circuit, Sakhir, Bahrain – April 8, 2018 Ferrari’s Sebastian Vettel celebrates after the race REUTERS/Hamad I Mohammed

Quem não disse a que veio foi a Red Bull. O holandês Max Verstappen não estava no melhor dos fins de semana e acabou saindo da pista nos treinos. Como se não bastasse, ele errou durante a corrida logo no início! Max fechou Hamilton em uma disputa na curva 1 e levou a pior: teve um pneu furado. Impetuoso demais, desta vez o jovem esportista que conquista sempre muitos fãs ao redor do mundo não se saiu tão bem. Enquanto isto, Daniel Ricciardo, companheiro de equipe, enfrentava problemas no carro graças ao painel do volante apagado completamente.  O fato é que os integrantes e líderes da equipe no box demonstravam grande decepção por conta do deprimente resultado: os dois fora! Para um time que iria brigar pelo título a surpresa negativa é uma realidade! Enquanto isto a McLaren mostra que deu a volta por cima ao se colocar na zona de pontuação outra vez. Quem surpreendeu também foi Kevin Magnussen da Haas, ele mostrou que o carro é competitivo sim e não está na competição para brincadeira. Conquistou um quinto lugar que colocou os rivais mais diretos do meio do pelotão em um barril de pólvora. Semana que vem tem a terceira corrida do ano, na China, esta é outra prova que promete bastante. Um grande abraço a todos!

Por James Azevedo

O Ritmo frenético de Hamilton

Será que dá para Bottas chegar lá?

Começou a temporada 2018 da Fórmula 1 e segue a pressão sobre o finlandês Valtteri Bottas, de 28 anos da esquadra alemã Mercedes. Como segundo piloto do time com o carro que era até então de Nico Rosberg, Bottas não tem mais desculpas e precisa entregar resultados fortes e consistentes o quanto antes. A batida nos treinos pelo GP da Austrália, abertura da temporada, e apenas a oitava colocação final durante a etapa com certeza não arrancaram sorrisos de Toto Wolff e Niki Lauda, os chefes do piloto. O finlandês necessita voltar a ser o competidor de alto nível das três vitórias no ano passado. Mesmo passando em 2017 com diversos momentos de altos e baixos rendimentos.

25.03.2018 – Valtteri Bottas (FIN) Mercedes AMG F1 W09

O competidor que passou quatro anos na Williams (três deles como companheiro do brasileiro Felipe Massa) entra na quinta temporada pela categoria com 22 pódios conquistados, sendo 13 deles a bordo da Mercedes. É possível entender que ele fez milagre no time que o projetou na F-1, afinal nem sempre teve um bólido competitivo. Bottas demonstrou qualidades.  Foi rápido e audacioso, características históricas e pertinentes dos finlandeses. Quem não se lembra de Mika Hakkinen? Sem contar o próprio Kimi Raikkonen. Muitos fãs, torcedores e especialistas entendem que o assento da Mercedes deveria pertencer a outro piloto. Os nomes de Pascal Wehrlein e até mesmo do jovem Esteban Ocon foram cogitados e seguem em alta. O alemão Wehrlein, considerado como um provável sucessor de Lewis Hamilton, não teve ainda uma oportunidade para demonstrar o seu talento por falta de um carro mais competitivo. O que colocou as habilidades dele em questão. A capacidade de Pascal é contestada devido à falta de resultados. Será que ele é mesmo capaz de fazer diferente de Valtteri? Ocon, por sua vez, vem demostrando rapidez, aprendizado e evolução dignos de um piloto de ponta mesmo com o carro da Force India. É outra possibilidade caso o atual segundo nome da Mercedes venha a ter um 2018 pífio.

27.02.2018 – Valtteri Bottas (FIN) Mercedes AMG F1 W09

Recentemente, Lewis Hamilton declarou que deseja ver Valtteri Bottas disputando mais vitórias e pódios. Lógico que o tetracampeão não quer o companheiro superando os seus próprios resultados, mas desta forma coloca pressão no finlandês. Com isto, a luta no campeonato dos construtores também fica mais fácil contra a Ferrari. A Mercedes continua tentando manter o nível e padrão apresentados nos últimos anos. Considerado os melhores dos melhores! É possível ver Bottas retomar uma sequência boa de resultados e ao menos acompanhar Hamilton nos pódios. O staff do time da estrela de três pontas é completo, experimentado e com exímios líderes.

27.02.2018 – Valtteri Bottas (FIN) Mercedes AMG F1 W09

Valtteri vem evoluindo e só precisa de mais regularidade. Tem tudo para isto. Ele pode não ser excepcional, fora-de-série, um piloto que chama a atenção de todas as manchetes de jornais especializados, mas ainda sim, é talentoso. Se não é excepcional, Valtteri tem a chance da vida e a próxima oportunidade de mostrar serviço é no fim de semana que vem durante a etapa do Bahrein, um circuito mais convencional, porém extremamente rápido. Vamos aguardar para ver o que acontece.

Por James Azevedo

Vettel: banho de sal grosso é a solução!

O GP do Japão de Fórmula 1 poderia ter sido uma chance de Sebastian Vettel tirar um pouco da diferença em relação ao líder do campeonato Lewis Hamilton (da Mercedes). Mas passou longe disso! Dando sequência na maré com todos os tipos de falta de sorte o alemão da Ferrari desta vez teve problemas de vela em Suzuka (vejam só, parece falha em carro de rua isso) no carro italiano e abandonou ainda na quinta volta com o motor falhando.

Hamilton agradeceu e pilotou suuuper tranquilo para mais uma conquista (oitava) na temporada. O inglês largou da pole position e tinha Sebastian ao lado na primeira fila após a punição de Valtteri Bottas que precisou trocar o câmbio. E mesmo antes da largada, o tetracampeão já passava pelo problema no carro enquanto os mecânicos da Scuderia corriam contra o tempo para acertar tudo. Não adiantou… Impressionante o quanto a Ferrari prometia durante a pré-temporada e início do ano, inclusive com as então vitórias incontestáveis de Vettel. Mas foi aí que a Mercedes começou a se recuperar, garantiu um carro mais confiável e com mais potência de motor. Assim o Lewis impôs uma sequência de resultados precisos para ninguém colocar defeito! Em Cingapura aconteceu o acidente que já tinha complicado a vida do ferrarista por si só na largada, depois na Malásia a quebra de motor e agora mais um problema mecânico. Não restou combatividade mas agora complicou total! Haja banho de sal grosso, Vettel! São 59 pontos de vantagem restando apenas quatro etapas para o final. Hamilton nem precisa mais vencer para se tornar mais uma vez campeão. Acho também que a pilotagem dele está no auge e a força mental para conduzir um bólido tão complexo e rápido nunca esteve tão em dia. E olha que muitas vezes o piloto da Mercedes gosta de curtir uma boa balada e acaba até descansando pouco! Quem sabe faz ao vivo e se vira nos 30!!!

Interessante foi a prova também dos carros da Red Bull: Verstappen chegou em segundo após pressionar bastante o Hamilton durante a corrida. Apesar da aproximação no final não foi possível tentar a ultrapassagem, mas o desempenho mostra o quanto a equipe evoluiu na aerodinâmica e o jovem ás do volante colocou a cabeça no lugar. Além disso o “sorriso mais largo” da F1 chegou em terceiro com o carismático Daniel Ricciardo “para variar” sempre muito seguro na pilotagem! Daqui a duas semanas teremos o GP de Austin que não é em Nova Iguaçu, mas em solo texano, praticamente a mesma coisa não???

Por James Azevedo.