Sonho adiado

Sonho adiado

Torcida titi titi da vida até 2022

Fala galera, amante da coluna do Cruzou é Gol no bom site do Pop Bola. É com lágrimas nos olhos que vamos para as análises especiais de Copa do Mundo. A geração belga se deu bem e o Brasil volta para casa. O jogo começou com o canarinho original indo com tudo para cima dos belgas. Foram pelo menos duas boas chances para abrir o placar logo de cara. Em uma delas a bola acertou caprichosamente a trave do goleiro Coutois. O gol era uma questão de tempo e saiu: Fernandinho foi o pai da criança. Foi ele que botou lá dentro. Eu vi! Eu vi! Quem não viu foi o próprio volante brasileiro que as redes não eram as redes adversárias. Bola contra o próprio patrimônio! O Brasil não se abateu e partiu ainda mais para o ataque, no entanto em um contragolpe mortal, os diabos vermelhos fizeram o segundo com “De Bruyne Surfistinha”. Méritos para a arrancada sensacional do negro gato, Lukaku. E o primeiro tempo terminou assim com derrota brasileira. Nem a mascote pistola e tampouco o feiticeiro importado puderam ajudar.

 

No segundo tempo, o técnico ♫ Tititi, tititi, tititi papo de tiete♫ tirou Willian Super Shock” e lançou o porteiro Firmino. O Brasil melhorou, mas não esbarrou na boa atuação do goleiro Coutois. ♫Que tititi é essa que vem da sapucaí♫ mexeu novamente, ele sacou o ♫vai paulinho♫ e colocou o Doutor Renato Augusto. Depois foi a vez de sacar Gabriel, apenas Gabriel (não vou falar o nome de Jesus em vão), para a entrada de Douglas Costa. Antes de sair de campo, o menino Jesus, em um lance duvidoso, foi derrubado na área pelo zagueiro belga. E o VAR? Aonde está o VAR? Ahhh… VAR… Philippe,“ex-craquinho”, achou Renato Augusto no meio dá defesa demoníaca e encheu o povo de esperança outra vez. Teríamos “feriado” na próxima semana? O time criou outras boas chances, mas como diz o ditado, a esperança de pobre dura pouco e o jogo terminou com a nossa derrota e dia normal de trabalho na semifinal. O Brasil foi eliminado e deixou o sonho do hexa para 2022. Brasil eliminado por puro azar, ou melhor, Hazard.

Os amigos leitores devem ter reparado que não falamos do “Neymarra”. Pois é, falar o quê? Neymar não jogou bem e pouco ajudou a seleção brasileira. A melhor jogada foi a de sempre: uma tentativa de cavar um pênalti e nada mais. A Copa do Mundo acabou e a sensação é de que poderíamos ter ido mais longe. De resto a convicção de se ter uma boa base para 2022. Faltam mil e… dias.

TODO MUNDO TENTA, MAS SÓ O BRASIL É PENTA

    

Até a próxima coluna e sigam as zoeiras em nossas redes sociais.

https://www.facebook.com/cruzouegol

https://www.twitter.com/cruzouegol

https://www.instagram.com/cruzouegol

POR: MAYCO COSTA, ABSALAN SILVA, FLÁVIO BRITO E LUCAS LIECHENSTEIN

Os diabos são tão feios como pintam?

Os diabos são tão feios como pintam?

A sempre promissora geração belga

Fala Rapaziada! E a promissora geração belga? Dá para dizer que sim? Este é o grande time do futebol mundial da atualidade? Talvez sim, talvez não… Será que o Monstro é tão feio quanto parece? A verdade é que a seleção belga traz a melhor geração formada desde 86 e conta com jogadores do gabarito de Eden Hazard, Kevin de Bruyne, Romeo Lukaku e cia. Destaques absolutos em seus clubes na Europa. No entanto, também desde 86 para ser otimista, o time sofre com esta história de geração promissora. A pressão é grande. A equipe fracassou no Mundial de 2014 e na Eurocopa de 2016.

O esquema tático dos diabos vermelhos, como são chamados, na teoria é definido no 5-4-1 alternando para o 3-4-2-1. Apostam na força do trio Hazard, Lukaku e Mertens e contam com os talentosos Witsel e De Bruyne pelo meio. Os dois laterais são rápidos e habilidosos, embora para muitos seja o setor menos eficiente da equipe. Isto porque Meunier e Carrasco muitas vezes se transformam em pontas e frequentemente se lançam ao ataque buscando a linha de fundo. Bola na área e Lukaku está lá para definir. O time ainda tem um paredão no gol. O goleiro Courtois, além de ser bom nas bolas aéreas em função da estatura, sabe sair jogando bem com os pés. O ponto fraco, se é que dá para dizer isto, está na zaga envelhecida e lenta formada por Vicent Kompany, Alderweireld e Vertonghen. Este o calcanhar de Aquiles belga.

By Rod Torres

Instagram: @rod_torres79

  https://www.acapivaradeucria.com.br

 https://www.facebook.com/capivaradeucria

 https://www.instagram.com/acapivaradeucria/

#acapivaradeucria

#capivaraatleta

A Copa de Neymar começa agora

A Copa de Neymar começa agora

Camisa 10 é decisivo na hora H

Neymar estreou na Copa. E amigos, quando Neymar joga, é um dos melhores do planeta. Fez gol, deu passe para o segundo chamou o jogo, pendurou os marcadores e não caiu na pilha. Foi agredido covardemente e mesmo assim não perdeu a cabeça. Esse Neymar pode ir longe.

Willian estreou na Copa. Foi o jogador insinuante do Chelsea, ajudou Fagner na marcação e fez várias arrancadas. Outro destaque do time de Tite é Thiago Silva. O ex-tricolor está numa forma espetacular. Arrebentou, foi o xerife, comandou a defesa.

Acho que devemos reparar uma injustiça. Gabriel Jesus merece muitos elogios. No futebol solidário de hoje, seu papel é fundamental. Ele abre espaços. Sua movimentação permite às ações dos outros companheiros. Além disso, marca, auxilia o lado esquerdo da defesa. Espera-se gols do camisa 9, mas ele contribui de outras formas. A barra de ser titular da seleção aos 21 anos é para poucos.

Nem tudo foi maravilhoso. No primeiro tempo, o Brasil foi dominado territorialmente. Apesar do México ter controlado às ações, não conseguiu chutar muito. Na próxima fase, Tite terá que entender como agir quando for atacado.

O Brasil fez um segundo tempo gigante. O dado ruim foi ter perdido o Casemiro para a próxima partida. Tomara que Fernandinho mantenha a pegada do meio-campo do Real Madrid.

Vou falar uma heresia. Prefiro o Felipe Luís na lateral. Ele marca melhor. Esse time do Brasil tem uma tendência a ser atacado, ou como dizem atualmente, um time que sabe sofrer; Por essa característica, acho que um lateral mais marcador encaixaria melhor em partidas contra adversários qualificados, que buscam o ataque.

No mais, essa seleção Brasileira me passa a impressão de ser parecida com o Corinthians de Tite, campeão Mundial de 2012. Um time muito sólido defensivamente que é certeiro quando vai ao ataque. Com a vantagem de ter mais qualidade técnica do que a equipe que lhe parece ter servido de espelho.

A seleção brasileira enfrenta qualquer time com chance de vencer. Pode ser Croácia, França, Bélgica, Uruguai, Colômbia ou Inglaterra. O Brasil pode não ser campeão, mas é um time fortíssimo, que superou completamente o desastre de 2014.

Por Creso Soares

*fotos: Lucas Figueiredo – CBF