Um Coelho de ouro

08/08/2018

Um Coelho de ouro

Ygor escreve o seu nome na história do Badminton

 Divulgação

Ygor Coelho foi o grande destaque da última semana entre os atletas olímpicos. E seu feito é ainda maior do que todos os outros por ser em um esporte praticamente sem tradição no Brasil, o badminton – esporte parecido com o tênis, porém em vez de bola, os atletas usam uma peteca. Ygor disputou o Mundial da modalidade e conseguiu chegar as oitavas de final. Uma conquista inédita para um brasileiro no esporte.

Para quem não conhece, o badminton é um esporte totalmente sem tradição no Brasil e nos demais países das Américas. Os europeus e os asiáticos (principalmente) se destacam no cenário mundial.  Ygor, 21 anos, foi revelado graças a um projeto social criado pelo próprio pai e que ensina as crianças da comunidade da Chacrinha, zona oeste do Rio, a jogarem badminton. De lá, Ygor ganhou o mundo. Ele participou dos jogos Rio 2016 como o primeiro brasileiro a disputar uma competição olímpica da categoria. O atleta ganhou experiência internacional e agora se prepara para brilhar no ciclo olímpico em Tóquio.

Em 2017, Ygor venceu o campeonato pan-americano e conseguiu ser o número 32 do ranking mundial. Em 2018, o atleta repetiu o título pan-americano e no mundial superou nada mais nada menos do que um cabeça de chave e chegou a uma inédita, oitavas de final. Ygor ainda pode subir mais no ranking. O desenvolvimento do jovem é notável, embora ainda esteja distante dos principais nomes da modalidade.  A juventude aliada a enorme capacidade de evolução no esporte pode levá-lo a voos mais altos. Se em Tóquio ainda dificilmente ele lutará por medalhas, as competições seguintes poderão dar a ele a oportunidade de transformar o garoto da comunidade da Chacrinha em um dos maiores talentos do badminton no mundo. Os jogos olímpicos de Paris 2024 é logo ali.

 

Por Surto Olímpico