Pilotagem de campeão!

16/04/2018

Pilotagem de campeão!

Ricciardo tem dia inspirado e vence na China

A terceira etapa da Fórmula 1 em 2018 tinha tudo para ser uma competição modorrenta, de poucas ultrapassagens e emoções. No entanto a escalada de Daniel Ricciardo superou qualquer expectativa! O australiano da equipe Red Bull largou da sexta posição e aproveitou a entrada do Safety Car na pista para cumprir a estratégia perfeita de pit stop. Ricciardo guiou de maneira agressiva e eficiente como poucos.

O competidor do time dos energéticos nem tomou conhecimento de quem estava pela frente e passou um a um para conquistar a sexta vitória da carreira dentro da categoria. No pódio, ao lado de Valtteri Bottas e Kimi Raikkonen, não poderiam faltar o largo sorriso e a costumeira / esquisita comemoração de sempre: beber champanhe dentro da própria sapatilha!

Durante a classificação no sábado a Ferrari mostrou mais uma vez sua força com outra pole position de Sebastian Vettel (foi incontestável mais uma vez e logo no finzinho) ao bater por menos de um piscar de olhos o tempo do companheiro de equipe. Cerca de meio segundo separou os dois carros da Scuderia para os da Mercedes. Um disposto e renovado Valtteri Bottas aparecia em terceiro e quem diria, um insosso Lewis Hamilton se posicionava apenas no quarto posto para o grid de largada.

Ricciardo chegou a ter problemas com o motor e poderia ter largado em último, mas o time da Red Bull conseguiu solucionar o revés para que o piloto alcançasse a fase final do treino classificatório, o Q3. Durante a largada, momento mais tenso de uma prova na Fórmula 1, Raikkonen tentou o pulo do gato ao fazer a ultrapassagem sobre o líder Vettel. Sem sucesso! O finlandês teve a porta fechada e perdeu várias posições. Bottas e Verstappen se deram melhor naquele momento.

Vettel logo estabeleceu um ritmo confortável na liderança e ninguém se aproximou o suficiente para uma abordagem mais direta na luta pela posição. A partir daí a disputa ficou em uma sequência de voltas previsíveis e sem lances mais agressivos. Uma procissão para qualquer fã dormir de tédio. Porém, “a corrida só termina na bandeirada”. Próximo a volta de número 30, os pilotos do time B da Red Bull, a Toro Rosso, resolveram aprontar! No trecho da pista chamado de hairpin ou grampo, pouco antes da reta principal, Pierre Gasly protagonizou uma manobra arriscada, por dentro, em cima do companheiro, o também novato Brendon Hartley. Precipitado, Gasly errou e tocou o companheiro. Ambos rodaram. Com o toque, diversos pedaços de fibra de carbono foram espalhados pelo asfalto. O carro de segurança foi acionado.

Ricciardo não perdeu tempo: foi ao pit stop pela segunda vez e calçou pneus macios completamente novos. Após a relargada e consequente bandeira verde, o piloto iniciou uma arrancada poucas vezes vista no circo da F-1! Passou um a um de maneira segura, apesar da ousadia em alguns momentos. Nem parecia o Ricciardo frio e calculista de outras oportunidades. Destaque para a brilhante ultrapassagem sobre Valtteri Bottas. Se o finlandês tentou fechar a porta para se defender, Ricciardo foi cirúrgico rumou firme para uma das vitórias mais espetaculares de todos os tempos. Mesmo com o abandono no Bahrein, o australiano já está em quarto lugar no campeonato com 37 pontos. Três pontos atrás do terceiro colocado.

Daqui a duas semanas teremos a etapa no circuito de rua em Baku, no Azerbaijão, com promessa de mais emoção.

Destaques positivos na China – Troféu volante de ouro da semana: Daniel Ricciardo e Valtteri Bottas – Show dos shows por parte dos dois pilotos! Muita combatividade e velocidade nos momentos certos da prova. Merecem nota 10!

Destaques negativos na China –  Troféu pneu furado da semana: Para Max Verstappen e Pierre Gasly. Ambos foram afoitos em momentos decisivos e estragaram as próprias performances. De ponto positivo apenas a entrada do carro de segurança pelo incidente causado por Gasly. Graças a ele é que a emoção que faltava na etapa apareceu! Verstappen ainda prejudicou a prova de Sebastian Vettel com sua agressividade. Haja paciência para o alemão da Ferrari! Nota 2,5 (e olhe lá!)

Por James Azevedo