Flamengo e Vasco em alta temperatura 

08/04/2019

Flamengo e Vasco em alta temperatura 

Abel Braga e Alberto Valentim chegam pressionados pra a final do Carioca

Flamengo e Vasco fazem depois de duas semanas mais uma final. Mas essa é para valer, não é igual a do dia 31 de março, que valia apenas um turno e uma taça honorífica. Agora, o vencedor entra para a história. Eu sou daqueles que acreditam que estadual ainda vale muito. Nessa época de cultura global do esporte, é bom dar valor à tradição.

Os dois times têm motivações diferentes nesta disputa. O Flamengo tem quase que “obrigação moral” de levar o campeonato. Não dá para comparar a diferença de investimentos entre os dois rivais. Além disso, o Flamengo precisa ter um ano vencedor, o título estadual pode motivar para o restante da temporada.

O Vasco ainda não perdeu para o Flamengo em 2019. Foram dois jogos e dois empates. Logo, dentro de campo essa decantada superioridade não prevaleceu.  Os cruzmaltinos têm motivos para acreditar que depois de 31 anos poderão vencer um confronto direto pelo título contra os maiores rivais.

Os dois técnicos chegam fortemente questionados a essa final. Abel Braga não consegue dar padrão de jogo ao Flamengo. No sábado, contra o Fluminense, se classificou por conta do regulamento. O técnico insiste com William Arão. E para enfurecer a torcida, tem uma cisma com Arrascaeta, a contratação mais cara da história do clube. O uruguaio entrou no Fla-Flu e em poucos minutos reorganizou o Flamengo.

Alberto Valentim também não conta com a paciência dos torcedores. Na semana passada, sites da torcida vascaína davam mais de 80% de taxa de rejeição ao técnico. Valentim é um treinador pragmático, que pensa mais na defesa e depois pensa em fazer os gols.

No meio da semana Flamengo e Vasco têm jogos importantíssimos por campeonatos cujos títulos valem mais do que o do estadual. As partidas valem muito para o restante do ano. O Flamengo enfrenta o San Jose no Maracanã e precisa vencer para manter chances de classificação para as oitavas da Libertadores. O Vasco vai a Santa Catarina pegar o Avaí, podendo até empatar pela Copa do Brasil.

Se Gabriel comemorou seu gol dando um beijo na testa de Abel Braga, o vestiário do Vasco da Gama está em polvorosa. Depois da vitória sobre o Bangu, o comandante vascaíno demorou uma hora e meia para aparecer e dar entrevista. Há informações de que Maxi Lopéz está insatisfeito por não estar sendo relacionado e de que Thiago Galhardo praticamente colocou ponto final na sua trajetória em São Januário.

O único título que Abel venceu pelo Flamengo foi um estadual, em 2004, contra o próprio Vasco. Naquela vez o técnico contava com Felipe jogando muita bola e na segunda partida da final assistiu à melhor partida da carreira do atacante Jean. O rubro-negro fez três gols. Detalhe, Jean admitia que era um atacante que não sabia chutar. Alberto Valentin é o atual campeão carioca. Venceu em 2018, pelo Botafogo, contra o… Vasco.

Os dois treinadores “devem” alguma coisa aos seus times. Valentim por ter vencido o campeonato no ano passado. Abel Braga por ter sido o técnico que comandou o Flamengo numa das grandes decepções do século, a perda da Copa do Brasil para o São Caetano, em pleno Maracanã, no ano de 2004.

Bem, senhores, é Flamengo e Vasco. Um jogo desses é importante até no meio do campeonato, quanto mais valendo título. É indiscutível que antes da bola rolar, o Flamengo é favorito, mas em outros momentos da história, o favorito no papel não levou a taça. Dia 21 de abril, às seis da noite, alguns vão sorrir e outros vão chorar. Porque como ensina Guilherme Arantes: “nem sempre ganhando, nem sempre perdendo, mas aprendendo a jogar”.

Por Creso Soares