Flamengo acovardado

06/05/2019

Flamengo acovardado

Time C abusa do antijogo e consegue apenas empate no Morumbi

É possível dizer que Abel Braga escalou um “Desflamengo” para enfrentar o São Paulo no Morumbi. Não tanto pelos jogadores, que fazem parte do time C do Flamengo, mas pela postura em campo. O empate cedido ao fim do jogo foi um castigo pouco severo ao que se passou no gramado. O Flamengo apelou para a cera, o antijogo e o cai-cai diante do olhar complacente de seu treinador. O jogo deu vergonha a qualquer torcedor minimamente consciente. 

Abel Braga conseguiu chegar ao momento decisivo do primeiro semestre de 2019. Descansou seus titulares numa partida importantíssima do Brasileirão. A exceção fixou por conta de Bruno Henrique, que jogou pouco mais de 20 minutos. Mas o Flamengo que entrou em campo no domingo foi um time pequeno, que deu a bola ao adversário para sair no contra-ataque. O segundo tempo foi um horror. O treinador está ultrapassado. Ficar esperando atrás e jogar por uma bola não é digno da grandeza do Flamengo. 

O time chega para a partida contra o Peñarol com a cabeça na guilhotina. Se perder, vai amargar mais um daqueles micos históricos que costuma protagonizar nos últimos anos em torneios continentais. Se bem que o Flamengo pagar mico na Libertadores é tão “surpreendente” quanto às “chuvas atípicas” que atingem o Rio todo ano e os seguidos prefeitos não conseguem resolver a infraestrutura para evitar transtornos. 

Como precisa de um empate, a estratégia do comandante do Flamengo parece óbvia: vai jogar atrás, por uma bola. Saída rápida pra que Bruno Henrique e Gabigol resolvam na frente. Um time covarde e de uma nota só. A diretoria do Flamengo deveria estudar opções a Abel Braga mesmo que o treinador classifique a equipe para as oitavas da Libertadores. 

Mas a nota oficial ridícula e extemporânea lançada por parte dos dirigentes do Flamengo mostra que o clube politicamente está mais zoneado do que o esquema antiquado empregado dentro de campo. Depois de um mal entendido sobre o uso do termo favela para identificar a torcida, da nota oficial digna de um filme dos Trapalhões (só que sem graça) e um treinador que não entendeu o espírito do clube que dirige, só resta torcer para que São Judas Tadeu dê uma força e o Flamengo volte classificado de Montevidéu. 

Por Creso Soares