Colunistas Fixos

Agora vamos de Copa

15/06/2018

Agora vamos de Copa

 O que o Botafogo e a Rússia tem em comum?

Fala aí seus famintos por ponto facultativo na Copa! Vamos para o nosso rápido giro da rodada do brasileirão antes da Copa do Mundo.

O time que não paga a série B enfrentou o Peixe em um Maracanã mais vazio do que a minha conta bancária.  O empate persistia até o finzinho do jogo até o menino Bruno Henrique VIII estufar as redes tricolores e garantir a vitória para o time da vila. Alegria do técnico Jair Ventura que garantiu o emprego, pelo menos até o encerramento da Copa do Mundo. Ou não.

No “Enche não”, o Glorioso enfrentou o Brisa (ex Furacão) e conseguiu sair com uma boa vitória. O técnico “revolucionário” do Atlético não pode fazer nada contra a boa atuação do fogão. Os gols foram de Renan “Edioti” (contra) e do ♫ Sou o Rodrigo Lindoso, Rodrigo Lindoso, sou o Rodrigo Lindoso♫. Com a vitória Botafogo saltou para a 9º colocação e respira mais aliviado no campeonato.

Em são Paulo, o time da Leila Pereira enfrentou o “segue o líder”. No começo da partida, Willian “bigode” abriu o placar, mas no segundo tempo, o alemão Thuler empatou o jogo para o mengão. No fim da partida, depois de uma confusão generalizada, o juizão expulsou 3 jogadores de cada lado: Jagunço Jonas, Henrique ♫Garota Dourado♫ e Cuellar do Flamengo. Já do Palmeiras foram para o chuveiro mais cedo: o modelo Luan, o encarregado Jailson e Du Dudu e Edu. Pasmem, Felipe Melo não foi expulso. O Flamengo, além de perder os 3 jogadores expulsos, ainda não sabe se terá na volta do Brasileiro, o menino ♫ para nooossa alegria♫. De certeza a saída de Vizeu para a Udinese.

Já o bobo da corte, segundo os rivais, foi até Porto Alegríssimo enfrentar o time do Saci e novamente decepcionou a sua torcida que não é mais feliz. Perdeu por 3 x 1. Os gols do Chapolim foram marcados por Nico Tim López, Patrick do Bob Esponja e do físico Víctor Tesla. Para o Vasco, ♫Andrey Andrey Andrey até encontrar♫ descontou. A notícia boa para o torcedor vascaíno é que o time ficará mais de 1 mês sem perder, o que é um recorde lá pelas bandas de São Januário. “Obrigado Fifa”. Jorginho agradece.

Quinta-feira começou a Copa do Mundo na terra da Vodca. Os donos da casa fizeram bonito e bateram “As mil e uma noite das Arábias” (5×0). Destaque para o craque “Cheira e Bebe”. Fica aí a dúvida: será que o nosso hexa está ameaçado?

Para encerrar a nossa coluna da semana… É domingo! A nossa seleção inicia a sua caminhada rumo ao hexa contra a Suíça. Se tudo correr bem será um mês de Galvão Bueno na telinha com overdose de babações para o Neymar. E aí? Qual a expectativa?

Até terça-feira e acompanhe as nossas zoeiras em nossas redes sociais.

https://www.facebook.com/cruzouegol

https://www.twitter.com/cruzouegol

https://www.instagram.com/cruzouegol

POR: MAYCO COSTA, ABSALAN SILVA, FLÁVIO BRITO E LUCAS LIECHENSTEIN

Nem só de vodca vivem os russos

Nem só de vodca vivem os russos

Seleção estreia com goleada em cima dos árabes

Fala rapaziada! Este que vos escreve, a capivara analista, conta o que viu na cerimônia de abertura da Copa do Mundo e também na estreia da seleção russa contra a Arábia Saudita. A Rússia mostrou que não vive apenas de produzir boas vodcas e muito menos da beleza de suas lindas mulheres! Pasmem, o futebol da anfitriã pode ir além do esperado nesta Copa.

Vamos pelo início. A festa de abertura, como em outras oportunidades, trouxe as tradicionais histórias de formação da civilização local. Danças típicas e encenações no melhor estilo comissão de frente de escola de Samba foram os pontos altos da celebração.  Ronaldo, o fenômeno, e o goleiro espanhol Casillas representam os grandes craques da Copa. Quanto ao arqueiro hispano, a dúvida era se o “mão de alface” manteria a gloriosa taça no alto! Ufa! Deu tudo certo no fim e ele não deixou o troféu escorregar por entre os dedos. O momento de maior polêmica na festa foi o show do cantor britânico, Robbie Williams. Ele fez o famoso gesto obsceno com o dedo do meio para câmeras. Sabe-se lá por quê. O curioso é que nas redes sociais o cantor foi confundido com o Ator Robin Williams falecido em 2014. Tudo bem que o astro da música andava um tanto quanto sumido na mídia, mas a confusão foi uma bola fora.

Depois da cerimônia, o que interessou, é claro, foi o início dos jogos da Copa. Na abertura a anfitriã Rússia enfrentou a Arábia Saudita. Antes de o jogo começar todos já imaginavam que a partida seria uma grande pelada.  Não deu outra. A peleja foi a pior estreia em Copas do Mundo com seleções mal posicionadas no ranking. Mas se o mundo esperava um 0 x 0 xoxo, a seleção russa surpreendeu e desferiu uma sonora goleada em cima dos Árabes (5×0). A vitória deu um pouco de esperança aos donos de casa. Que comecem os jogos! Toda a alegria aos corações apaixonados pelo esporte bretão!

 Michael Regan – FIFA/FIFA via Getty Images

Rod Torres

A Capivara Deu Cria

  https://www.acapivaradeucria.com.br

 https://www.facebook.com/capivaradeucria

 https://www.instagram.com/acapivaradeucria/

#acapivaradeucria

#capivaraatleta

De Bento Ribeiro a Fenômeno mundial

14/06/2018

A trajetória contada e cantada de Ronaldo

De Bento Ribeiro a Fenômeno mundial

Com mais uma Copa do Mundo começando, resolvi mudar em cima da hora o tema que havia escolhido a priori, para falar daquele que foi o artilheiro do último Mundial conquistado pelo Brasil: Ronaldo. Com 8 gols marcados em 2002, o atacante brasileiro ajudou consideravelmente a seleção comandada por Luiz Felipe Scolari a levantar a taça com Cafu e todo imenso Jardim Irene no qual se transformou nosso país na manhã daquele 30 de junho, um domingo, claro.

De garoto de Bento Ribeiro, craque no futebol de salão, a Fenômeno nos gramados do mundo, Ronaldo experimentou fortes dores, mas também muitos prazeres. Um personagem como este, que escreveu seu nome na História do futebol brasileiro e mundial, não podia, portanto, deixar de ter músicas em sua homenagem. Uma delas é esta acima, “Sou Ronaldo”, de Marcelo D2.

Mas tem mais. Ele foi até enredo de escola de samba: da Tradição, em 2003.

E teve sua história relatada pelos Racionais MC’s em música que leva o seu nome.

O promissor jovem que começou no São Cristóvão e apareceu para o país inteiro com muita velocidade e gols atuando pelo Cruzeiro, ganhou mundo quando foi para a Europa. Numa trajetória inicial semelhante à de Romário, foi primeiro para o PSV Eindhoven, da Holanda, e depois para o Barcelona, onde se consagrou de vez.

Com apenas 17 anos, fez parte da seleção que conquistou o tetra nos Estados Unidos. Não jogou daquela vez, mas quatro anos depois já era a grande esperança da torcida brasileira. Se durante a Copa da França foi um dos principais responsáveis pela campanha que levou o Brasil à final, até hoje não se explica direito o que lhe ocorreu no dia da decisão contra os donos da casa. Mesmo sofrendo uma convulsão na concentração, foi a campo, e o time brasileiro foi facilmente derrotado pelos franceses por 3 a 0.

Ronaldo teve de esperar quatro anos para dar a resposta em campo. Mas a trajetória foi dolorosa, pois quase foi impossibilitado de disputar a Copa de 2002. Duas graves lesões no joelho direito, sofridas em jogos da Inter de Milão, onde atuava, deixaram o Fenômeno fora dos campos, primeiro por 5 meses, entre 99 e 2000, e depois por 8 meses, entre 2000 e 2001. Teve muita determinação para voltar a jogar e todo o seu esforço foi premiado. Com os 8 gols que marcou, sendo dois na final contra a Alemanha, foi um dos principais jogadores da equipe que conquistou o penta na Ásia.

Ronaldo conseguiu ser ídolo de grandes rivais europeus: no Barcelona e no Real Madri, onde integrou o time dos Galácticos, ao lado de Zidane; e Inter e Milan, na Itália. O melhor jogador do mundo em 96, 97 e 2002 não foi tão bem em 2006, como toda a seleção, mas acabou se tornando o maior artilheiro das Copas, com 15 gols, superado em 2014 pelo alemão Klose. E quando todos já davam Ronaldo como acabado para o futebol, foi contratado pelo Corinthians, depois de se recuperar de uma lesão no Flamengo. A torcida rubro-negra não o perdoou, mas a corintiana teve imensas felicidades com o craque, que mesmo acima do peso levou o time paulista às conquistas do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil de 2009.

E o Fenômeno deixou mesmo muitas saudades, como bem cantam os repentistas Caju e Castanha em “A despedida do Ronaldo”.

Por

 

Por Eduardo Lamas