O caso Sidão

O caso Sidão

 Quando a arrogância leva à humilhação.

 

Qual o limite do humor? Hoje em dia isso é muito debatido, mas nessa semana especificamente o debate se abrange. Qual o limite do humor esportivo? Qual o limite da interatividade?

Sim, porque tudo nessa vida tem que ter limite e não é simplesmente questão de censura e sim bom senso, empatia, respeito ao próximo. Seu limite chegou quando começa a invadir o do outro, portanto o limite do humor é quando alguém não ri, tem seu limite ultrapassado pela piada. Quando isso ocorre vire humilhação, ofensa e geralmente acontece quando é exercido o tipo mais pobre de humor, o mais rasteiro. Aquele que ri do oprimido em vez do opressor.

Isso que fez o “amigo internauta” catapultado por sites de humor na internet domingo passado. Tem culpa a internet e seu humor? Exatamente não, apesar de, como eu disse, achar que humor tem limite, a internet ainda é considerado um terreno onde “a zoeira não tem limites”, a culpa está em quem dá voz excessiva ao “amigo internauta”, dessa forma vem sendo eleitos campeões de reallity shows, craques da rodada e até presidentes da República.

Evidente que teríamos engraçadinhos avacalhando esse tipo de eleições, a Globo teve a amostra no jogo da seleção contra a República Tcheca quando elegeram o Kudela para constranger o Galvão. Ali ficou muito engraçado, mas foi dado o alerta para algo ser mudado. A emissora não ouviu o alerta, não só não ouviu como piorou a situação começando a oferecer um troféu para o melhor.

O que ocorreu domingo foi uma tragédia anunciada. Desde o começo do jogo, desde a primeira falha Sidão disparou como o craque do jogo. Era o momento da emissora voltar atrás, de reconhecer que estavam avacalhando a premiação, dar uma bronca pública no internauta e dizer que não compactuaria com aquilo passando ali mesmo a votação para os comentaristas. Mas algum diretor arrogante e que nunca jogou bola na vida determinou que seria daquela forma, que não poderia prejudicar acordos comerciais e deu no que deu.

Burro acima de tudo. Quer problema maior pra acordo comercial que exposição negativa? As emissoras de tv e rádio hoje são comandadas por gente de business, não por quem entenda, isso explica, por exemplo, emissoras tradicionais de rádio afundando e se perdendo porque mudou programação e perdeu identidade, isso dá no que ocorreu domingo. A exposição a humilhação mundial de um pai de família. Como reparar isso agora? Pedindo desculpas? Meio tarde, não? A imagem do Sidão está arranhada para sempre.

Vai adiantar de alguma coisa? Ficar alguma lição? Não sei, mudaram a escolha do craque, mas a turma mais mimizenta que existe, aquela que vê tudo como mimimi e ama a expressão “O mundo está chato” está de mimimi dizendo que vários jogadores já foram vaiados e nunca deu essa repercussão. Até porque ser vaiado é uma coisa, exposto na maior emissora de tv do país é outra. Fato que esse povo que reclama de mimimi e que o mundo está chato sempre esteve do lado da zoeira e não aguenta trinta segundos de zoação sem pedir arrego ou perder a esportiva. O mundo está muito chato mesmo, não podem nem mais zoar ou humilhar alguém mais fraco em paz.

A bola murcha essa semana foi a Globo. O craque da rodada nessa rodada não foi o craque da rodada.

Sem mimimi.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Instagram – @aloisiovillar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>