Maracanazo ou Mineirazo?

Maracanazo ou Mineirazo?

“As Copas perdidas em casa”

Com a proximidade da Copa do Mundo da Rússia, torna-se impossível não relembrar a última edição do torneio mundial de Seleções. Vencida pela Alemanha, que derrotou por 1×0 a Argentina em pleno Maracanã, a Copa do Mundo de 2014 ficou marcada pela goleada histórica e humilhante de 7×1 que os campeões, contando com Müller, Özil, Kross e Neuer, aplicaram em nós anfitriões (de Fred, David Luiz, Felipão e Bernard, “o menino da alegria nas pernas”), na semifinal disputada no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte-MG (o “Mineirazo”). Aquela era a segunda vez que o Brasil sediava a Copa e tal como na primeira, não levantou o caneco.

Em 1950, em uma Maracanã (construído especialmente para o torneio) completamente lotado por 173.850 torcedores, a Seleção Brasileira, de Ademir Menezes, Friaça e Barbosa, saiu derrotada para os uruguaios, de Ghiggia, Schiaffino e Varela, por 2×1, quando todos, inclusive imprensa e dirigentes já davam como certa a vitória canarinha desde a véspera da final.

Uruguay player Ghiggia scores during the World Cup Final, against Brazil, in the Maracana Stadium in Rio de Janeiro, Brazil, July 16, 1950 . Uruguay defeated Brazil 2-1 to win the Rimet Cup. (Ap Photo)

Mas afinal, qual das duas derrotas em casa foi mais dolorosa: o Maracanazo ou Mineirazo?

Tentando responder e entender as duas realidades, Ahmad Samir Nobrega lançou em 2015 o livro “As Copas perdidas em casa” pela Editora Multifoco, uma leitura obrigatória para todos os brasileiros a menos de um mês da edição de 2018 da Copa:

Passados 64 anos desde o gol de Ghiggia na final de 1950, no famoso Maracanaço, o Brasil atravessou mudanças e evoluções sociais significativas e a seleção nacional conquistou cinco títulos mundiais de futebol. Em 2014, o clima foi de apreensão, por conta das manifestações e das contrariedades da nova Copa do Mundo brasileira. Com o propósito de refletir o atual estado da sociedade e do futebol do país, ‘’As Copas Perdidas em Casa’’, apresenta e narra a história, dentro e fora das quatro linhas, de dois mundiais realizados no país da bola, discutindo a importância da derrota do selecionado brasileiro de 1950 e ainda buscando os porquês e as consequências do chocante Mineiraço, a maior derrota da seleção em sua história. Gol da Alemanha”.

Contendo 236 páginas, “As Copas perdidas em casa” pode ser encontrado no site da Editora Multifoco.

Igor Serrano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>