Vettel: banho de sal grosso é a solução!

09/10/2017

Por: James Azevedo

O GP do Japão de Fórmula 1 poderia ter sido uma chance de Sebastian Vettel tirar um pouco da diferença em relação ao líder do campeonato Lewis Hamilton (da Mercedes). Mas passou longe disso! Dando sequência na maré com todos os tipos de falta de sorte o alemão da Ferrari desta vez teve problemas de vela em Suzuka (vejam só, parece falha em carro de rua isso) no carro italiano e abandonou ainda na quinta volta com o motor falhando.

Hamilton agradeceu e pilotou suuuper tranquilo para mais uma conquista (oitava) na temporada. O inglês largou da pole position e tinha Sebastian ao lado na primeira fila após a punição de Valtteri Bottas que precisou trocar o câmbio. E mesmo antes da largada, o tetracampeão já passava pelo problema no carro enquanto os mecânicos da Scuderia corriam contra o tempo para acertar tudo. Não adiantou… Impressionante o quanto a Ferrari prometia durante a pré-temporada e início do ano, inclusive com as então vitórias incontestáveis de Vettel. Mas foi aí que a Mercedes começou a se recuperar, garantiu um carro mais confiável e com mais potência de motor. Assim o Lewis impôs uma sequência de resultados precisos para ninguém colocar defeito! Em Cingapura aconteceu o acidente que já tinha complicado a vida do ferrarista por si só na largada, depois na Malásia a quebra de motor e agora mais um problema mecânico. Não restou combatividade mas agora complicou total! Haja banho de sal grosso, Vettel! São 59 pontos de vantagem restando apenas quatro etapas para o final. Hamilton nem precisa mais vencer para se tornar mais uma vez campeão. Acho também que a pilotagem dele está no auge e a força mental para conduzir um bólido tão complexo e rápido nunca esteve tão em dia. E olha que muitas vezes o piloto da Mercedes gosta de curtir uma boa balada e acaba até descansando pouco! Quem sabe faz ao vivo e se vira nos 30!!!

Interessante foi a prova também dos carros da Red Bull: Verstappen chegou em segundo após pressionar bastante o Hamilton durante a corrida. Apesar da aproximação no final não foi possível tentar a ultrapassagem, mas o desempenho mostra o quanto a equipe evoluiu na aerodinâmica e o jovem ás do volante colocou a cabeça no lugar. Além disso o “sorriso mais largo” da F1 chegou em terceiro com o carismático Daniel Ricciardo “para variar” sempre muito seguro na pilotagem! Daqui a duas semanas teremos o GP de Austin que não é em Nova Iguaçu, mas em solo texano, praticamente a mesma coisa não???

Por James Azevedo.