A memória da Copa de 70

10/01/2018

Por: Igor Serrano

Na prancheta

Quando se fala na Copa de 1970 no México, muitas imagens vêm à cabeça. A do eterno capita Carlos Alberto Torres levantando a Taça Jules Rimet, os lances mágicos de Pelé contra Uruguai e Tchecoslováquia, a vitória sobre a Itália na final com passeio dos craques…tudo isso acontecendo em meio à ditadura militar que governava o Brasil. No entanto, aquela conquista teve um importante papel muito além das quatro linhas: a construção da memória do povo brasileiro em relação ao esporte, sempre associando o jogo-bonito/o chamado “futebol arte” àquele elenco.

Para explicar isso, os professores Marco Antonio Santoro e Antonio Jorge Gonçalves se debruçaram em vasta pesquisa tomando como base jornais (O Globo, Jornal do Brasil, Jornal dos Sports e O Estado de São Paulo) de 1970 em comparação com a cobertura jornalística das Copas de 1998 e 2002, além de entrevistas com Zagallo, Parreira, Gérson e o preparador Lamartine Da Costa. O resultado desse belo trabalho foi lançado em 2009 pela Editora Autores Associados com o título de “A memória da Copa de 70 – Esquecimentos e lembranças do futebol na construção da identidade nacional“.

No livro os autores afirmam que sem o conhecimento científico desenvolvido e aplicado na preparação da equipe brasileira (e que viria a influenciar o futebol mundial em seguida), seria muito improvável a conquista daquele Mundial, em que pese a presença dos craques brasileiros e a sabedoria de Zagallo, diferentemente de como a maior parte da mídia aborda e a população lembra:

Observamos que os protagonistas dos acontecimentos da Copa de 1970, de certa maneira, resgatam a imagem da estruturação de um planejamento de treinamento, baseado em conhecimentos científicos, o que foi fundamental para o desempenho de jogadores de inegável qualidade técnica diante da limitação da altitude na Copa de 1970“.

Contendo 160 páginas, “A memória da Copa de 70” pode ser encontrado em diversos sites e livrarias por um preço médio de R$ 35,00.

Por Igor Serrano