Ao ritmo de fado e samba

07/02/2018

Por: Igor Serrano

Na prancheta

O cordão umbilical das relações luso-brasileiras foi estabelecido oficialmente no ano de 1500, com a chegada dos portugueses ao Brasil. Futebolisticamente, o primeiro contato aconteceria apenas em 1913, quando uma equipe de jogadores portugueses atravessou o oceano até o solo brasileiro para a disputa de amistosos no Rio de Janeiro e São Paulo, atendendo a um convite do clube carioca Botafogo FC.

Em 2013, na comemoração de centenário do debut do futebol  entre os países, foi lançado em Portugal a obra “A bola ao ritmo de fado e samba – 100 anos de relações luso-brasileiras no futebol“, compilação de artigos entre autores portugueses e brasileiros, com a organização de Francisco Pinheiro (português) e Victor Andrade de Melo (brasileiro), sobre os mais diversos temas. A obra aborda a utilização em comum do futebol pelos Estados totalitários de Vargas e Salazar (“Vargas, Salazar e o futebol nas décadas de 1930 e 1940” de Maurício Drumond), a constante presença de jogadores brasileiros em Portugal (“Tchau Brasil, alô Portugal! A migração de futebolistas brasileiros para Portugal” de Carlos Nolasco), os históricos confrontos do Santos de Pelé com o Benfica de Eusébio (“Inimigos cordiais – Brasil vs Portugal, Santos vs Benfica, Pelé vs Eusébio na Taça Intercontinental de 1962” de Hilário Franco Júnior), além de outros assuntos de grande interesse para adeptos e torcedores:

Em 2013 comemora-se o Centenário das Relações Luso-brasileiras no Futebol. Foi precisamente há 100 anos, entre junho e agosto de 1913, que uma equipa de jogadores portugueses rumou de barco ao Brasil para uma digressão futebolística pelo Rio de Janeiro e São Paulo. As duas nações ficaram unidas para sempre pelo Futebol, um dos fenômenos mais relevantes da história contemporânea portuguesa e brasileira. Este livro conta com 22 capítulos, envolvendo um total de 25 autores (12 portugueses e 13 brasileiros), especialistas reconhecidos nos seus respetivos países. Encontramos o Futebol cruzado com as dimensões da história, das mulheres, do fascismo, do herói (nas figuras de Eusébio, Pelé, Otto Glória, Scolari, por exemplo), do clubismo (Benfica, Santos, Vasco da Gama, Académica de Coimbra), do cinema, da violência, do futebolista-emigrante ou da própria linguagem futebolística e jornalística. Um documento, em 22 partes, que conta 100 anos de história do futebol luso-brasileiro“.

Contendo 412 páginas e publicado pela Edições Afrontamento, “A bola ao ritmo de fado e samba” pode ser encontrado em diversos sites e livrarias portuguesas por um preço médio de 19 euros. Se conhecer alguém que esteja indo pra Portugal (e que vá voltar para o Brasil), vale a pena encomendar.

Por Igor Serrano