Desenrola aí

De olho no Carioquinha!

19/01/2018

Por: Rod Torres, A Capivara deu Cria

Que estreia hein…

Fala turma popboliana! Hoje esta capivara que vos escreve, vem analisar a performance dos quatros clubes grandes do Rio  em suas estreias no nosso querido e esvaziado Campeonato Carioca! E por sinal, que estreia hein…

O Botafogo jogou contra a Portuguesa da Ilha na Terça-feira no Engenhão… Jogando em casa, técnico novo, Jéferson de titular! Tudo conspirando a favor do Fogão! Mas quem começou vencendo foi a Lusa da Ilha que aproveitando as falhas do Alvinegro meteu logo 2 a 0 com direito a um frangaço do goleiro do Glorioso!! Mas a Portuguesa também cometeu muitas falhas e uma delas foi um pênalti bizarro cometido pelo Romarinho convertido pelo Brenner… Já sem pernas o Botafogo abusou dos chuveirinhos e chegou ao empate no último minuto com o Marcus Vinicius  em jogada de escanteio. Atuação pífia com direito a vaias para o Fogão e muitas lamentações para a Portuguesa que não conseguiu quebrar o tabu de 52 anos sem vencer o Glorioso!

Quarta-Feira o Fluminense após um passeio pela Flórida onde colecionou derrotas e alguns souvenirs, estreou contra o time do Boa Vista. Na verdade o time parecia um verdadeiro “cata-cata”, pois não contou com os jogadores que excursionaram na terra do Mickey! Resultado? Tomou uma sacolada de 3 a 1 do Boa Vista … Apesar de ter a maior posse de bola , o Fluzão castigado pelo calor de Bacaxá e com muitos garotos em campo não resistiu e foi derrotado! Destaque para Erick Flores ( Aquela eterna promessa dos tempos do Flamengo) com 2 gols na partida!

Continuando a Rodada na Quarta, Tivemos a estréia do Flamengo contra o Volta Redonda… A primeira partida oficial comandada pelo Técnico Carpegianni! Com um time recheado de garotos muitos deles foram recrutados do time que esta disputando a Taça SP, o Fla não tomou conhecimento do Volta Redonda e  venceu por 2 a 0 com golaços de Lucas Silva e Pepê ( fiquem de olho nestes muleques). Que os garotos mereçam mais oportunidades!

Fechando a rodada para os grandes do carioca, o Vasco recebeu o Bangu em São Januário!  De uniforme novo e portões fechados, o Vasco começou o torneio tomando uma piaba de 2 a 0! Apesar de ter o domínio do jogo, o time não  mostrou efetividade no ataque e de quebra teve  Nenê expulso no fim do jogo. O Cruz-Maltino ainda foi alvo de memes por parte do Bangu!

By capivara Atleta

Rod Torres

E os estaduais?

18/01/2018

Por: Fabiano Bandeira, o Praça

E os estaduais?

Uma das maiores reclamações atuais no futebol brasileiro é a dificuldade de organização do calendário. Em ano de Copa do Mundo esta situação fica ainda mais complicada e os maiores clubes têm que fazer mágica para que o desempenho seja razoável na maior parte da temporada. A grande polêmica gira em torno dos campeonatos estaduais. Qual é a motivação para a permanência dos regionais no inchado calendário nacional? Existe alguma fórmula para que os estaduais sejam mantidos sem que os clubes sejam prejudicados?

Um dos argumentos utilizados para que os estaduais não acabem é o apelo para que os jogadores dos clubes pequenos não fiquem desempregados. Acontece que isto é um problema estrutural do futebol brasileiro. Muitos atletas disputam apenas o campeonato estadual e ficam sem emprego logo depois. Alguns não recebem salário enquanto estão em atividade. Jogam por projeção. Outros dizem que estes campeonatos são importantes para a vida dos clubes pequenos. Mas é interessante viver para não pagar ou pagar pouco aos funcionários?

Além dos fatos concretos, o campeonato estadual também é importante pela rivalidade local e laço afetivo de muitos torcedores. Não há como negar que o saudosismo faz parte do futebol. O esporte é importante para a as pessoas, para as torcidas. Os clássicos são empolgantes. Entretanto, nota-se que o público do Campeonato Carioca, por exemplo, vem diminuindo historicamente.

Estádio Nilton SantosPor Phill ad – Obra do próprio, CC BY-SA 4.0, Foto

Não é muito difícil: há como manter os campeonatos estaduais, desde que sejam feitas modificações simples. Uma ideia é montar uma competição robusta com os clubes médios e pequenos. Os grandes entrariam numa fase avançada com menos jogos e mais clássicos. O apelo seria maior, o calendário menos maçante e até o bolso do torcedor agradeceria. Infelizmente há outros quesitos a serem analisados e interesses estranhos para que o atual modelo continue. Mas para que não haja leviandade, a coluna fica por aqui.

Um abraço!

Crowdfunding pelo futebol

17/01/2018

Por: Igor Serrano

Crowdfunding pelo futebol

Um dos clássicos de maior rivalidade do país, Atlético-MG x Cruzeiro tem em andamento um bacana projeto de livro através de financiamento coletivo (Crowdfunding), elaborado pelos pesquisadores Alexandre Simões e Wallace Graciano. Segundo eles a intenção da obra é “mostrar um outro lado da polêmica através de um denominador comum e contar uma das maiores rivalidades do país, que ainda não foi retratada em nenhuma obra, apesar de merecê-la“. A rivalidade entre os times é tanta, que o Galo considera 501 clássicos disputados até o momento, enquanto a Raposa contabiliza 484:

 

O grande entrave da obra é que não houve uniformidade de critérios adotados pelas entidades que regem o futebol durante a história do confronto. Para se ter uma ideia, o futebol chegou a ser disputado no Brasil com 80 minutos de jogo (dois tempos de 40 minutos) até meados da década de 1940, ao contrário dos 90 minutos já exigidos pela Fifa. Conforme passaram-se os anos, essas regras tornaram-se universais.

 

Por isso, foi preciso estabelecer algumas diretrizes antes de se iniciar a pesquisa. Assim, foram consultadas a Fifa e a CBF para se observar quais os critérios vigentes e aplicados para que um jogo fosse considerado oficial e pesquisadores da história do futebol, que explicaram os contextos históricos de cada período.

 

A partir desse momento, houve um cruzamento de dados com a lista de cada um dos clubes, além de pesquisas da RSSSF Brasil, Revista Placar, especiais dos principais jornais do Estado, Canto do Galo, Almanaque do Cruzeiro e Enciclopédia do Atlético.

 

Com a lista de jogos ‘controversos’, iniciou-se, posteriormente, uma pesquisa na Hemeroteca do Estado de Minas Gerais para conferir as regras aplicadas no período. Assim, chegou-se a um número final de jogos.

 

O próximo encontro entre as equipes está marcado para 4 de março de 2018, pela 9ª rodada do Campeonato Mineiro.

 

A última pesquisa feita no Brasil, a Lance/Ibope, de 2014, aponta que, juntos, Atlético e Cruzeiro possuem quase 12,54 milhões de torcedores em todo o Brasil (ou 6,6% da população). Porém, bem além dos números absolutos, a rivalidade entre os dois lados está no imaginário daqueles que são apaixonados pelo futebol. Segundo a mesma pesquisa, em Minas Gerais, os dois clubes possuem, juntos, 84% dos torcedores“.

Quem se interessar, basta acessar https://www.catarse.me/atleticoxcruzeiro. Existem diversos valores para contribuir, cada um com uma recompensa diferente.

Por Igor Serrano