Tudo azul no mundo

Tudo azul no mundo

Fim do sonho croata e a ascensão francesa

Fala galera, sim! Para a nossa tristeza, a Copa chegou ao fim. Com um copo de vodka ao lado do PC, vamos as considerações finais sobre o maior espetáculo da Terra. No sábado a disputa do prêmio de consolação, o 3º lugar, foi insosso. Tudo para saber quem chegaria em casa com o sorriso amarelo de uma medalha no pescoço com pouco valor. A honraria ficou com a “ótima geração belga” que saiu na frente do placar com Meunier e fechou a tampa do caixão inglês com o Pokémon Charizard. O futebol não voltou para casa como cantavam os ingleses. Não para a deles.

O destaque do jogo ficou por conta da despedida de Luis Roberto no fim da transmissão.

Já o domingo, na tradicional festa de encerramento antes do jogo, a comemoração foi ofuscada por um percursionista mais conhecido como bruxo. Ele representou o melhor momento do Brasil na Copa. Levou a taça de inusitado da vez.

Depois do oba oba chegou o grande momento do dia. Frente a frente, os negros maravilhosos franceses encaravam os meninos da Presidente Kolinda Grabar Kitarovic (colocamos o nome completo pra facilitar a tua pesquisa por fotos dela na internet). A maior parte da torcida era da Croácia, não só por causa da presidente, mas pela própria seleção quadriculada. Seria a oportunidade de assistir a conquista de um título por um campeão inédito. Valeu até levar um Mick Jagger “francês” para o estádio.

Com a bola rolando e a partida equilibrada, aos 17 minutos, Griezmann cavou uma falta mais inexistente do que salário no fim do mês. O juizão marcou. O francês cobrou e Mario Mandžukić desviou para marcar o primeiro gol contra em uma final de Copa do Mundo. Porém aos 28 veio a resposta. Após um lançamento na área, a bola sobrou para Perisic. Ele limpou ♫Kanté kanté até encontrei♫ e fuzilou as redes de Lloris. Tudo Igual. Felicidade geral! Pelo menos pelos próximos 10 minutos. No décimo primeiro minuto após o empate croata o herói do empate botou a mão na bola dentro da área. Ele mesmo: Perisic parecia com preguicite (só pelo jogo de palavras). O juiz não viu, mas o VAR buzinou no ouvido dele. Pênalti marcado. Griezmann cobra bem e recoloca os franceses a frente outra vez. Fim de um bom primeiro tempo. Aberto. Restava o quê? Restava a Croácia dar a VIDA no segundo tempo para uma virada.

Na fase complementar do jogo os meninos de ♫Didididiê♫ Deschamps liquidaram a fatura logo cedo com Pogba aos 14 minutos. Seis minutos depois, aos 20, Mbappé faria mais um. E quando tudo parecia encaminhar-se para mais um 7×1, aos 24 minutos, o goleiro francês, Lloris, resolveu dar um pouco de emoção a partida. Lloris deu a bola no pé de Mandžukić depois de uma saída errada e o atacante croata descontou no placar. Mas ficou por aí. Os negros maravilhosos controlaram o jogo até o apito final para comemorar o seu segundo título mundial. Destaque para o atacante titular Olivier Giroud, o Gabriel Jesus com grife, que não marcou nenhum gol durante a Copa.

Após o apito final do último jogo da Copa, a FIFA divulgou os vencedores dos prêmios individuais. São eles: Luka Modric (Bola de ouro), Mabappé (revelação), Harry Kane (Artilheiro) e Courtois (melhor goleiro)

Um dos momentos mais bacanas da transmissão, se não o mais interessante de toda a Copa foi a emoção de Casagrande ao revelar o feito de ir e voltar da Rússia sóbrio. Parabéns Casão! Não é fácil conviver com esta luta diária contra o vício, principalmente em um lugar que se bebe muito. Vodka então nem se fala.

A verdade é que a Copa do Mundo acabou, mas o futebol não. A próxima coluna já será sobre o futebol tupiniquim.

https://www.facebook.com/cruzouegol

https://www.twitter.com/cruzouegol1

https://www.instagram.com/cruzouegol

POR: MAYCO COSTA, ABSALAN SILVA, FLÁVIO BRITO E LUCAS LIECHENSTEIN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>