Nos deixem torcer em paz.

Nos deixem torcer em paz.

Os cartolas estão perdendo a noção do que é o futebol. Enquanto houver espaço, deve haver movimentos pelo direito de torcer e dar espetáculo nas arquibancadas.

A CONMEBOL quer estabelecer novas regras para diminuir a participação efetiva dos torcedores nos torneios realizados na América do Sul. Grandes clubes já se manifestaram contra as medidas que a entidade quer impor em breve. Os cartolas da confederação não estão preocupados com o principal interessado num jogo de futebol. O esporte bretão não existe sem as festas dos torcedores.

O Brasil já passou por mudanças consideráveis em relação aos instrumentos utilizados dentro dos estádios. Contudo, ainda resta o sentimento dos torcedores que viveram o futebol em outras décadas e alguns resquícios de criatividade em meio a tantas proibições. Naturalmente é necessário limitar materiais letais e/ou perigosos num ambiente muitas vezes hostil e geralmente com milhares de pessoas presentes. O problema ocorre quando as autoridades se aproveitam de argumentos superficiais para barrar apetrechos inofensivos.

Não adianta tirar a bateria da torcida e deixar um agressor infiltrado na arquibancada. A tecnologia atual é capaz de identificar os arruaceiros com facilidade, pois há câmeras de segurança espalhadas pelos estádios e em diversas situações os bagunceiros não fazem questão de esconder a identidade. Acontece que os monstros formam a minoria. Todo ser humano que acompanha futebol entende que a maioria dos organizadores de festas nos estádios é apaixonada pelo clube que torce.

Os brasileiros vão trocando bandeiras por pequenas faixas, bandeirões por mosaicos, sinalizadores inofensivos por celulares e a festa vai se modificando. Embora não esteja perdida, em território nacional, a luta está complicada e os espetáculos diminuindo. Se a CONMEBOL continuar com o plano de acabar com o interesse do torcedor, o futebol do continente também vai ficar chato fora de campo, pois dentro das quatro linhas a qualidade já está longe da ideal há anos. Fica a torcida para que muitas instituições façam como o Corinthians e se levantem contra essas atrocidades.

Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>