O ano do Botafogo

O ano do Botafogo

Clube foi o único do Rio campeão

Entre mortos e feridos o Fogão se salvou..

Em um olhar frio podemos dizer que o ano do Botafogo foi de altos e baixos. Teve momentos muito ruins como a Taça Guanabara onde tomou um baile do Flamengo na semifinal. A Copa do Brasil foi um desastre também sendo eliminado pelo pequeno Aparecidense e correu riscos no campeonato brasileiro passando a maior parte do tempo perto do Z4, por essa ótica poderíamos dizer que foi um ano ruim.

Mas não foi porque seus momentos bons foram bem superiores ao ruins em resultados. Mesmo oscilante no brasileirão conseguiu um gás na reta final, não acabou o campeonato ameaçado de rebaixamento e melhor do que isso, mais uma vez acabou o campeonato entre os dez primeiros. É o terceiro campeonato brasileiro seguido em que o Botafogo faz uma boa campanha, mesmo com a reta final ruim ano passado.

Melhor do que isso, mesmo com o tal baile tomado na semifinal da Taça Guanabara o Botafogo foi campeão carioca. O único time do Rio de Janeiro campeão no ano e para melhorar a situação alvinegra o Botafogo foi o maior carrasco do Flamengo no ano eliminando o mesmo do campeonato carioca e acabando com suas chances no campeonato brasileiro.

Mais uma vez o clube teve um elenco modesto contratando jogadores desconhecidos. Perdeu o treinador Jair Ventura para o Santos e demorou a se acertar com treinador tendo quatro durante o ano e errando feio nas escolhas de Felipe Tigrão e Marcos Paquetá. Foi bem com Alberto Valentim com esse sendo campeão estadual, mas largou o clube indo para o Egito. Contratou Zé Ricardo que foi seu último treinador no ano e com dificuldades conseguiu acertar o time no fim do ano.

O Botafogo sofreu com contusões como a de João Paulo que ficou quase todo o ano fora. Sofreu também com seus dois ótimos goleiros Gatito e Jefferson que se machucaram com frequência no ano e no pior momento do alvinegro no brasileiro se ausentaram ficando o jovem Saulo no gol. Mas Gatito voltou e foi fundamental para a recuperação no campeonato. Jefferson voltou e pôde se despedir do futebol jogando.

Assim foi o ano do Botafogo. Podemos dizer que no meio de tantas dificuldades foi um ano bom, um ano vencedor. Não se espera que entre dinheiro e venham contratações de impacto, mas o clube passa por um bom momento onde parece ter se encontrado com uma filosofia de competição. Basta segurar o treinador durante o ano inteiro.

Botafogo foi o fogo que apagou o cheirinho em 2018. Agora é esperar até aonde vai esse fogo em 2019.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Instagram – @aloisiovillar

O legado de Bandeira de Mello

O legado de Bandeira de Mello 

Está acabando a gestão que divide opiniões

Neste sábado o Flamengo elege seu novo presidente. Quatro são os candidatos, mas todos sabem que a disputa está entre Rodrigo Lomba e Rodolfo Landim. O primeiro candidato da situação e o segundo de oposição, mas com pensamentos parecidos com o da atual gestão em muitas coisas tanto que em 2013 todos eram do mesmo grupo.

Eram da famosa “Chapa azul”, o grupo de empresários e funcionários públicos que se juntou para tentar fazer algo pelo clube do coração. Seis anos depois a pergunta é. Fizeram?

Para começar o grupo ruiu logo no início então não dá para julgar todo o grupo pela gestão, mas a resposta é óbvia, por mais que a maior parte da torcida esteja revoltada pela falta de títulos é óbvio que mudou e óbvio que para melhor. Para quem duvida disso aconselho a entrar no Facebook e em suas lembranças. Entrem e vejam as lembranças de seis anos atrás, da época que esse grupo foi eleito. Eu acabei de olhar e lembrei do Flamengo da época, do Flamengo que assim como ocorreu com Vasco e Fluminense esse ano todas as temporadas lutava para não cair. O time da moda era o Fluminense que ganhara dois brasileiros em três anos graças a Unimed, o Vasco no ano anterior tinha feito uma ótima Libertadores. E o Flamengo?

O Flamengo, que hoje é zoado pelo “cheirinho” era zoado também na época sendo chamado de “Falido”, ou “Flalido”. Quanto tempo que você leitor rubro negro não ouve a expressão “Flalido”?. Quantas tempo que você leitor rubro negro não usa a expressão “Time grande não cai” ao fim de uma temporada quando ficou aliviado pelo time não cair? Você leitor rubro negro que hoje reclama de um vice campeonato brasileiro comemorou quantas vezes décimo sexto ou décimo quinto lugar na última rodada? Lembro bem da alegria que fiquei em 2004 quando o Flamengo venceu o Cruzeiro por 6×2 na última rodada e se livrou do rebaixamento. O time quase deu volta olímpica, foi comemorar com a torcida.

O rubro negro que diz “Quero o meu Flamengo de volta” me intriga. Que Flamengo cara pálida? O cara que diz que o “verdadeiro Flamengo não se orgulha de vice brasileiro” me faz vontade de perguntar de novo “Que Flamengo cara pálida”? Em quarenta e oito campeonatos brasileiros o Flamengo só foi melhor que esse nas vezes em que foi campeão e tirando a fase de 1978 até 1983 essa atual deve nada ao restante da história do clube. O Flamengo pós Zico, o mesmo campeão brasileiro em 1987, foi trvice carioca em 87/88/89 e tinha sido trivice em 82/83/84, seis vices cariocas em oito anos. É preciso humildade para reconhecer que o período entre 1978 e 1983 até hoje é uma exceção.

Digo isso para dizer que a presidência de Bandeira de Mello é uma maravilha? Não, longe disso. Sua gestão revolucionou o clube administrativamente e financeiramente sem dúvidas, o clube falido hoje tem dinheiro, contrata jogadores, tem CT de primeiro mundo, mas errou muito no futebol, ganhou nada e tendo dinheiro isso ainda fica pior. Bandeira entende nada de futebol, se cercou de gente que entende nada de futebol e isso foi um desastre esportivo.

Vexame nas passagens pela Libertadores, vexame na Copa do Brasil esse ano, no carioca esse ano, o único que não acho vexame foi justamente o mais reclamado, o brasileiro. No futebol essa administração foi péssima, mas para o clube excelente e é mais fácil fazer o futebol alcançar essa excelência com o clube estruturado que não. Não tenho dúvidas que com Lomba ou Landim o Flamengo se cercará de melhores pessoas, mais preparadas no futebol que saberão aproveitar o feito no clube.

Bandeira é polêmico, muitas vezes arrogante, entende nada de futebol, para alguns “banana”, mas terá seu nome em um provável sucesso futuro do Flamengo. O alicerce foi com ele, que venha o prédio.

Que 1978 a 1983 não seja mais exceção

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Instagram – @aloisiovillar

Quase lá!!

Quase lá!!

 Palmeiras pode ser campeão nessa quarta-feira.

Hoje (Se você lê a coluna na quarta) começa a 36° rodada da grande procissão chamada campeonato brasileiro. Faltando onze dias para o fim do certame temos o primeiro “match point” para o Palmeiras. Para a equipe paulista ser campeã basta vencer em casa o América e torcer para o Flamengo não vencer o Grêmio no Maracanã e o Inter não vencer o Atlético no Beira Rio.

Há chance sim disso ocorrer. Inter e Flamengo jogam em casa, mas tem confrontos contra equipes que estão na parte de cima brigando por algo grande. O Inter pega um galo que ainda briga com o Atlético Paranaense pela sexta vaga na Libertadores, jogo esse que só interessa na verdade para o título oficial do Palmeiras já que uma vitória alviverde faria que com que o Inter tivesse que aplicar grandes goleadas até o fim para tirar a diferença de saldo. O Flamengo pega um Grêmio que todos sabem ser forte, mas ganhou nada no ano e tem dois compromissos para amenizar esse prejuízo. Conseguir a vaga na fase de grupos da Libertadores e ficar na frente do Inter, dois grandes motivos de entrega do time em busca da vitória. O Flamengo vencendo segue vivo, pois a diferença é de cinco pontos e mesmo que haja empate em pontos o clube carioca venceria em “número de vitórias”.

Aparentemente o Palmeiras tem um compromisso fácil mesmo que o coelho tenha vencido o Santos na última rodada e ainda brigue para ficar na Série A, mas o confronto com o Paraná domingo parecia mais fácil ainda e rolou apenas um empate. Nos últimos cinco jogos o Palmeiras venceu apenas dois, empatando três, mas viu sua diferença para os rivais solidificar. Mesmo com o surpreendente empate contra o lanterna manteve a diferença de cinco pontos para o segundo colocado, que agora é o Flamengo, com uma rodada a menos para jogar.

Acredito, muita gente também, que o Palmeiras “vacilou” por saber que está tudo sobe controle e esse vacilo lhe acorde para o título, mas o campeonato agora não permite mais vacilos. Um empate em casa com uma vitória do Flamengo sobre o Grêmio desce a diferença para três pontos com o Palmeiras enfrentando um desesperado Vasco em São Januário. Aí o campeonato ficaria em aberto.

O caminho parece verde e livre, mas que se conduza com cuidado para não parar em uma curva rubro-negra.

O campeonato se aproxima do fim e pode acabar hoje.

A conferir.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Instagram – @aloisiovillar