F1: “Estação” Austin!

A próxima etapa da temporada 2017 de Fórmula 1 acontece em um circuito que estreou na categoria há apenas cinco anos: Austin! Uma parada em momento crucial para o campeonato! Se Lewis Hamilton vencer e Sebastian Vettel terminar de sexto para trás a taça de campeão vai para o inglês da Mercedes com quatro provas de antecedência em relação ao final da temporada. São cem pontos em jogo e 59 de diferença entre os postulantes ao “caneco” da categoria.

O circuito fica na capital do estado americano do Texas e que tem o mesmo nome do conhecido bairro de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro! Se um dia os carros da F1 voltassem a se apresentar por aqui, além de São Paulo, já pensou eles “desfilando” perto da linha do trem? Seria um meme para a eternidade, hehe! Mas voltando a falar da próxima etapa na F1, o também conhecido como Circuito das Americas é um traçado de longas retas, subidas e descidas. Foi projetado em um grande espaço justamente para ter grandes áreas de escape para os carros em disputa e tudo foi pensado para proporcionar inclusive grandes duelos em curvas desafiadoras como o “S” no início após os boxes. Foram colocados também trechos um pouco mais lentos após a longa reta oposta, mas nem por isso se torna um local para os corredores passarem em mais baixa velocidade. Se tudo continuar a favor de Hamilton, a tendência é essa, inclusive, ele terá ainda mais motivos para continuar sorrindo neste ano. Em seis corridas disputadas lá ele venceu nada mais nada menos que cinco vezes. Absoluto! O único outro competidor que quebrou a sequência foi Sebastian Vettel que venceu em 2013 pela Red Bull.

Vale lembrar que a F1 já passou pelos EUA em outras oportunidades sempre tentando se estabelecer, mas após algum tempo a prova em questão acabava saindo do calendário… E assim tivemos etapas em Indianápolis, Phoenix, Watkins Glen (local da primeira vitória do Emerson Fittipaldi e dos brasileiros na categoria), e outros traçados ainda mais tradicionais. Além da vitória de “Emmo”, o país teve conquistas em 2002 com Barrichello e na dobradinha 90/91 com o saudoso Ayrton Senna do Brasil. Grande abraço, galera, e até a semana que vem!

Por James Azevedo

Vettel: banho de sal grosso é a solução!

O GP do Japão de Fórmula 1 poderia ter sido uma chance de Sebastian Vettel tirar um pouco da diferença em relação ao líder do campeonato Lewis Hamilton (da Mercedes). Mas passou longe disso! Dando sequência na maré com todos os tipos de falta de sorte o alemão da Ferrari desta vez teve problemas de vela em Suzuka (vejam só, parece falha em carro de rua isso) no carro italiano e abandonou ainda na quinta volta com o motor falhando.

Hamilton agradeceu e pilotou suuuper tranquilo para mais uma conquista (oitava) na temporada. O inglês largou da pole position e tinha Sebastian ao lado na primeira fila após a punição de Valtteri Bottas que precisou trocar o câmbio. E mesmo antes da largada, o tetracampeão já passava pelo problema no carro enquanto os mecânicos da Scuderia corriam contra o tempo para acertar tudo. Não adiantou… Impressionante o quanto a Ferrari prometia durante a pré-temporada e início do ano, inclusive com as então vitórias incontestáveis de Vettel. Mas foi aí que a Mercedes começou a se recuperar, garantiu um carro mais confiável e com mais potência de motor. Assim o Lewis impôs uma sequência de resultados precisos para ninguém colocar defeito! Em Cingapura aconteceu o acidente que já tinha complicado a vida do ferrarista por si só na largada, depois na Malásia a quebra de motor e agora mais um problema mecânico. Não restou combatividade mas agora complicou total! Haja banho de sal grosso, Vettel! São 59 pontos de vantagem restando apenas quatro etapas para o final. Hamilton nem precisa mais vencer para se tornar mais uma vez campeão. Acho também que a pilotagem dele está no auge e a força mental para conduzir um bólido tão complexo e rápido nunca esteve tão em dia. E olha que muitas vezes o piloto da Mercedes gosta de curtir uma boa balada e acaba até descansando pouco! Quem sabe faz ao vivo e se vira nos 30!!!

Interessante foi a prova também dos carros da Red Bull: Verstappen chegou em segundo após pressionar bastante o Hamilton durante a corrida. Apesar da aproximação no final não foi possível tentar a ultrapassagem, mas o desempenho mostra o quanto a equipe evoluiu na aerodinâmica e o jovem ás do volante colocou a cabeça no lugar. Além disso o “sorriso mais largo” da F1 chegou em terceiro com o carismático Daniel Ricciardo “para variar” sempre muito seguro na pilotagem! Daqui a duas semanas teremos o GP de Austin que não é em Nova Iguaçu, mas em solo texano, praticamente a mesma coisa não???

Por James Azevedo.

Verstappen espanta a “zica” na Malásia

 

O holandês Max Verstappen finalmente conseguiu um grande resultado na temporada 2017 ao vencer o GP da Malásia neste domingo, última prova disputada no circuito de Sepang. O ano do piloto na Red Bull não vinha nada animador: quebras, acidentes e abandonos na maior parte das corridas. Porém neste domingo ele “sacudiu a poeira” ao ultrapassar até de forma fácil Lewis Hamilton na quarta volta e manteve a ponta para não mais perdê-la.

 

Como piloto revelação o Max já tinha demonstrado todo o talento durante a temporada passada quando inclusive venceu uma prova logo na estreia pela equipe principal dos energéticos. E desta vez, após longo tempo, voltou a fazer bonito para chegar à segunda conquista na categoria. Tudo isso justamente no dia em que completou 20 anos de idade, um belo presente! Já o Lewis Hamilton fez a pole position número 70 da carreira no sábado e de início na corrida não tinha o melhor rendimento. Após a troca de pneus conseguiu se manter em segundo apesar de não se aproximar bastante do Verstappen. Mais um resultado importante. Daniel Ricciardo em outra corrida cerebral completou o pódio.

E aplausos devem ser dados a Sebastian Vettel: o piloto da Ferrari sofreu com um problema de motor, teve que largar em último e ainda sim “escalou” o pelotão para fechar em quarto. Excelente prova de recuperação em um final de semana terrível para o time italiano. Kimi Raikkonen abandonou antes da largada com o mesmo tipo de problema. Como se já não bastasse, depois da bandeirada o novato Lance Stroll quis tirar a Williams do caminho e acabou acertando justamente o carro do vice-líder da temporada. Erro do canadense na minha opinião, moveu do nada o bólido de forma brusca na pista! Agora além dos 34 pontos de desvantagem para Hamilton, pode ser que o Vettel ainda veja o carro passar pela troca de câmbio devido ao acidente e mais posições de largada sejam perdidas para a próxima corrida no Japão. Para ele na luta pelo título só resta torcer por um abandono de Hamilton… É o único jeito daqui até o final da temporada. Grande abraço, galera, e até a próxima!!!

Por James Azevedo