Palcos da Copa da Rússia

Palcos da Copa da Rússia

Volgorado: a cidade que parou Hitler

Menos de um mês para a Copa do Mundo começar e sigo apresentando as cidades que vão sediar a competição. Hoje é dia de falar de Volgorado, antiga Stalingrado. A Arena de Volgorado, situada às margens do Volga, foi totalmente reformada para o mundial. O estádio terá capacidade para 45.568 pessoas e será casa do FC Rotor depois da Copa da Rússia. Durante o torneio, será palco de apenas quatro jogos da fase de grupos: Tunísia x Inglaterra, Nigéria x Islândia, Arábia Saudita x Egito e Senegal x Colômbia

A cidade foi fundada em 1589 com a designação de Tsarítsin por ter se originado de uma fortaleza às margens do rio Tsaritsa. Em 1925, passou a se chamar Stalingrado por decisão do XIV Congresso do Partido Comunista da União Soviética, para homenagear o então secretário-geral do partido, Josef Stalin, por ele haver derrotado, nessa cidade, em 1920, à frente das tropas do Exército Vermelho, o general Anton Ivanovitch Denikin, comandante do Exército Branco. A Batalha de Stalingrado teve lugar nesta cidade no inverno de 1942, com êxito do exército soviético sobre as tropas alemãs nazistas, desgastadas pelo inverno rigoroso típico da região. Em 1961, o governo de Nikita Khruschov, passou a se chamar Volgogrado.

É considerada um dos pontos mais importantes da II Guerra Mundial. Na antiga Stalingrado, o exército vermelho conseguiu parar a expansão nazista. O confronto entre russos e alemães durou 200 dias e mais de 2 milhões de pessoas foram mortas durante a batalha na cidade. Assim como a Arena, que foi reconstruída para a disputa do Mundial, toda a cidade teve que ser erguida das cinzas após os conflitos. Os pontos turísticos mais importantes de Volgorado são os monumentos no alto do Monte Mamaev, onde há um memorial em homenagem aos soldados mortos e um museu sobre o confronto. Vale a pena passear pela cidade e reparar no estilo arquitetônico, mantido desde a época de Stalin.  Um dos símbolos de Volgorado é a escultura da Mãe Pátria, localizada no alto do Monte Mamayev Kurgan. Ela retrata uma mulher segurando uma espada com 85 metros de altura e mais de 8 mil toneladas. É lá que está um Monumento com os restos mortais de mais de 34 mil combatentes que participaram da defesa de Stalingrado.

A Casa Pavlov, famosa durante a Batalha de Stalingrado, abrigava um prédio que tinha grande importância estratégica, já que ficava no centro da principal praça da cidade. O turista ainda pode mergulhar na história da II Guerra ao se deparar com Monumento a Vladimir Lenin. É a maior estátua para o ex-líder da União Soviética.

Se você quiser dar um pulo na cidade, há voos regulares saindo de Moscou, São Petersburgo e Ecaterinburgo. De trem, saindo de Moscou, o passeio dura mais de vinte horas.

Por Alexandre Araújo

Palcos da Copa da Rússia

Palcos da Copa da Rússia

Saransk, a menor cidade do Mundial

A cidade de Saransk, capital da República da Mordovia, vai receber quatro jogos da fase de grupos no Mundial: Peru x Dinamarca, Colômbia x Japão, Irã x Portugal e Panamá x Tunísia. A Arena Mordovia, que passou por reformas desde 2010, poderá abrigar até 44.442 torcedores durante a Copa do Mundo, mas depois será parcialmente desmontada, tendo capacidade reduzida para 25 mil fãs nos jogos do FC Mordovia, clube de pequena expressão, que nos últimos anos conseguiu participar da primeira divisão em duas oportunidades. A Arena está localizada no centro da cidade, à margem do rio Insar, e o uso de cores vivas do estádio é uma referência à paleta de cores usada no artesanato do povo.

Localizada no coração do país, Saransk é considerada uma das cidades mais agradáveis da Rússia. Com uma população de apenas 307 mil habitantes, é a menor das cidades-sedes da Copa. Conhecida pela sua arquitetura que remete à época do Império russo, mesmo tendo a maioria dos seus maiores monumentos construídos recentemente, as cores vivas chamam muito a atenção de quem visita à cidade.

Uma das principais atrações de Saransk foi construída neste século: a catedral ortodoxa em homenagem a Fyodor Ushakov, um ilustre comandante da marinha russa que foi canonizado pela igreja ortodoxa. Durante o crescimento da União Soviética, Saransk teve um grande avanço industrial. Inúmeros trabalhadores migraram para a cidade nas décadas de 50 e 60 em busca de melhores condições de vida.  Atualmente, a população está em diminuindo, já que a maioria dos empregos eram gerados por companhias e industrias que não existem mais. Se você quiser conhecer essa pequena cidade durante a competição, dois voos diários saem de Moscou, mas também há voos vindo de São Petersburgo. O preço das passagens é baixo e podem chegar a custar menos de R$ 150,00.

Por Alexandre Araújo

Palcos da Copa da Rússia

Níjni Novgorod, a antiga cidade fechada

A cidade de Níjni Novgorod, também chamada de “Górki”, em homenagem ao grande escritor russo, será sede da Copa de 2018.   O Níjni Novgorod Stadium foi construído especialmente para o mundial e terá capacidade para 44.899 mil torcedores. Construído próximo à confluência dos rios Volga e Oka, será a casa do Olympiets Nizhny Novgorod após a Copa do Mundo.  O estádio vai receber quatro partidas da fase de grupos (Suécia x Coreia do Sul, Argentina x Croácia Inglaterra x Panamá e Suíça x Costa Rica), uma partida das oitavas e um jogo das quartas. O Estádio Nizhny Novgorod, de acordo com os arquitetos, simboliza as duas forças dominantes da natureza: água e vento. No teto foram instalados painéis translúcidos brancos e em dois tons de azul.

Níjni Novgorod é uma das cidades mais antigas da Rússia e a quinta maior do país. A cidade foi fundada pelo príncipe Yuri Vsevolodovich em 1221 como ponto de apoio à defesa da fronteira oriental. No século XIX, se tornou centro do comércio do país e chegou a ser apelidada de bolsa da Rússia. Durante o regime soviético, de 1932 a 1990, a cidade se chamou Gorky, em homenagem ao escritor, romancista, dramaturgo, contista e ativista político russo Maksim Gorky, que nasceu lá. Durante a Guerra Fria a cidade era dedicada às pesquisas secretas de armas nucleares era fechada a turistas. Assim como muitas outras cidades russas, Níjni Novgorod também possui um Kremlin. A fortaleza começou a ser construída em 1374, e hoje é um dos locais mais visitados na pequena cidade.

Das 11 sedes da Copa, Níjni Novgorod é a mais cara para se estar. De acordo com um levantamento feito pelo comitê de turismo de São Petersburgo, uma noite por lá custa, em média, 3.711 rublos (cerca de R$ 213). A rua Bolshaya Pokrovskaya é a principal para pedestres em Níjni Novgorod. Por lá, os turistas podem admirar a beleza da arquitetura da cidade. O teatro Dramático Acadêmico Estatal Maksim Gorky é o único teatro da Rússia que recebeu, desde 1901, todas as peças de Gorky e algumas encenações de sua prosa. Lá é possível ver peças de teatro, concertos e show.

Se você estiver em Moscou, a viagem durará pouco mais de 1h, já que Níjni Novgorod é a mais próxima da capital entre todas as cidades-sede. As passagens podem sair por pouco mais de R$ 200 até R$ 400, dependendo da época da compra. De trem, partindo da capital, o tempo de viagem é de entre três horas e meia e sete horas.

Por Alexandre Araújo