Palcos da Copa da Rússia

 Palcos da Copa da Rússia

Kazan, uma cidade para todas as religiões  

 

O estádio de Kazan, casa do Rubin Kazan, é legado de um recente evento esportivo realizado no país: Universíade, a Olimpíada universitária, disputada na cidade, em 2013. A arena tem capacidade para 44.779 torcedores e será palco de uma partida das quartas, uma das oitava e quatro jogos da fase de grupos:  França x Austrália, Irã x Espanha, Polônia x Colômbia e México x Suécia. Além de receber jogos da Copa, Kazan foi sede da Copa das Confederações, em 2017. O projeto da Arena Kazan foi feito pelo mesmo grupo de arquitetos do Estádio de Wembley e o Emirates Stadium, em Londres. Um dos destaques do estádio é o imenso telão que cobre parte do seu exterior. Além disso, visto de cima, o estádio que fica às margens do Rio Kazanka, foi construído de forma com que lembrasse um lírio d´água.

Photo by Sergei FadeichevTASS via Getty Images

A cidade de Kazan foi fundada no ano de 1.005, e é uma das mais antigas cidades da Rússia. Situada na confluência dos Rios Volga e Kazanka, Kazan tem um passado marcado por conflitos e invasões de vários povos. Foi a capital do Canato de Kazan, Estado tártaro que existiu entre os anos de 1438 a 1552. Durante esse período, o Canato de Kazan organizava invasões e saqueava regiões da Rússia, trazendo consigo, inclusive, escravos. Em 1552, sob o comando de Ivan IV (mais conhecido como Ivan, O Terrível), o Canato de Kazan foi conquistado. Os russos que se encontravam escravizados foram libertados. Parte da população local foi morta e remanescentes foram convertidos à força ao cristianismo. As mesquitas da cidade foram destruídas e foi proibida a construção de novas mesquitas na cidade. Essa proibição durou até o século 18, quando a Imperatriz Catarina II da Rússia – Catarina, a Grande – finalmente permitiu a construção de novas mesquitas.

 Kazan é capital do Tartaristão, região com maior concentração de muçulmanos na Rússia. Além do russo, a língua tártara também é oficial na região. Kazan e um dos maiores centros industriais e financeiros da Rússia. Com mais de 2 mil anos, a cidade tem grande importância cultural e econômica e hoje é uma das mais visitadas no país. O “Templo de Todas as Religiões” é um dos monumentos mais famosos da cidade. O complexo arquitetônico reúne construções religiosas como uma igreja ortodoxa, uma sinagoga e uma mesquita. A cidade também tem em seu Kremlin a principal atração para os turistas. O complexo, que data do reinado de Ivan, o Terrível, no século XVI, abriga prédios importantes para a cidade, como a Catedral da Anunciação e a Mesquita Kul Sharif, símbolo da convivência pacífica entre as religiões. Se você quiser ver um dos jogos em Kazan, há voos de Moscou para a capital do Tartaristão que duram pouco mais de uma hora.

Por Alexandre Araújo

 

 

Palcos da Copa da Rússia

Palcos da Copa da Rússia

Sochi, a casa da seleção brasileira

O Fisht Stadium, em Sochi, foi uma das sedes da Copa das Confederações, em 2017. A arena, inaugurada em 2013, para a Olimpíada de Inverno do ano seguinte, conserva uma estrutura moderna. O estádio tem capacidade para 47.700 torcedores e abrigará uma partida das quartas, uma das oitavas e quatro jogos da fase de grupos:Portugal x Espanha, Bélgica x Panamá, Bélgica x Tunísia e Austrália x Peru. Após a Copa, a Arena poderá receber jogos do FC Sochi, atualmente na terceira divisão do futebol russo.

Localizada na região sudoeste da Rússia, Sochi será a sede da seleção brasileira na Copa do Mundo. O Brasil vai ficar concentrado na cidade na primeira fase do Mundial, mas o sorteio dos grupos apontou que a equipe não jogará na cidade. A infraestrutura do lugar, com dois campos de treinamentos a menos de 500 metros de onde o time ficará hospedado, foi o que pesou em favor da escolha. Com cerca de 340 mil habitantes, Sochi foi escolhida como sede do Mundial 2018 por causa do seu legado olímpico, deixado pelos Jogos de Inverno. A cidade possui tradição em sediar grandes eventos esportivos, como o Grande Prêmio da Rússia de Fórmula-1 e os Jogos Paraolímpicos de Inverno em 2014.

Fundada em 1838, é uma das cidades com clima mais ameno da Rússia, já que as temperaturas, tanto no inverno quanto no verão, são agradáveis. Além disso, a cidade é considerada uma das mais modernas da Rússia. Para quem for fazer turismo em Sochi, as principais atrações da cidade litorânea, localizada ao sul da Rússia, são legados dos Jogos de Inverno de 2014, como o Parque Olímpico e um resort para a prática de esqui. Apesar de ter abrigado a competição gelada, a cidade oferece opções de praias, já que a Copa será disputada no verão na Europa.

O hostinsky Tisosamshitovaya Grove é um dos símbolos mais incríveis da cidade. Se você quer relaxar durante um jogo e outro, esse é o local ideal, pois a floresta com árvores antigas te dará ar puro, muito verde e ainda trilhas e caminhadas ecológicas. Outro ponto turístico famosos é a antiga casa de veraneio do ditador Josef Stalin. Ela fica em um bosque e é toda pintada de verde por fora. Lá dentro, quem visitar, encontrará objetos pessoais, estátua de cera, dentre outros objetos. Quem quiser conhecer a sede da seleção na Rússia, há voos saindo de Moscou e a viagem dura cerca de duas horas e meia. Em média, o turista pagará mais de R$ 300 se decidir pega um aviãoOs trens saem diariamente das estações Kazansky e Kursky, em Moscou, e a viagem dura, em média, mais de 23 horas.

Por Alexandre Araújo

Palcos da Copa da Rússia

Palcos da Copa da Rússia

Volgorado: a cidade que parou Hitler

Menos de um mês para a Copa do Mundo começar e sigo apresentando as cidades que vão sediar a competição. Hoje é dia de falar de Volgorado, antiga Stalingrado. A Arena de Volgorado, situada às margens do Volga, foi totalmente reformada para o mundial. O estádio terá capacidade para 45.568 pessoas e será casa do FC Rotor depois da Copa da Rússia. Durante o torneio, será palco de apenas quatro jogos da fase de grupos: Tunísia x Inglaterra, Nigéria x Islândia, Arábia Saudita x Egito e Senegal x Colômbia

A cidade foi fundada em 1589 com a designação de Tsarítsin por ter se originado de uma fortaleza às margens do rio Tsaritsa. Em 1925, passou a se chamar Stalingrado por decisão do XIV Congresso do Partido Comunista da União Soviética, para homenagear o então secretário-geral do partido, Josef Stalin, por ele haver derrotado, nessa cidade, em 1920, à frente das tropas do Exército Vermelho, o general Anton Ivanovitch Denikin, comandante do Exército Branco. A Batalha de Stalingrado teve lugar nesta cidade no inverno de 1942, com êxito do exército soviético sobre as tropas alemãs nazistas, desgastadas pelo inverno rigoroso típico da região. Em 1961, o governo de Nikita Khruschov, passou a se chamar Volgogrado.

É considerada um dos pontos mais importantes da II Guerra Mundial. Na antiga Stalingrado, o exército vermelho conseguiu parar a expansão nazista. O confronto entre russos e alemães durou 200 dias e mais de 2 milhões de pessoas foram mortas durante a batalha na cidade. Assim como a Arena, que foi reconstruída para a disputa do Mundial, toda a cidade teve que ser erguida das cinzas após os conflitos. Os pontos turísticos mais importantes de Volgorado são os monumentos no alto do Monte Mamaev, onde há um memorial em homenagem aos soldados mortos e um museu sobre o confronto. Vale a pena passear pela cidade e reparar no estilo arquitetônico, mantido desde a época de Stalin.  Um dos símbolos de Volgorado é a escultura da Mãe Pátria, localizada no alto do Monte Mamayev Kurgan. Ela retrata uma mulher segurando uma espada com 85 metros de altura e mais de 8 mil toneladas. É lá que está um Monumento com os restos mortais de mais de 34 mil combatentes que participaram da defesa de Stalingrado.

A Casa Pavlov, famosa durante a Batalha de Stalingrado, abrigava um prédio que tinha grande importância estratégica, já que ficava no centro da principal praça da cidade. O turista ainda pode mergulhar na história da II Guerra ao se deparar com Monumento a Vladimir Lenin. É a maior estátua para o ex-líder da União Soviética.

Se você quiser dar um pulo na cidade, há voos regulares saindo de Moscou, São Petersburgo e Ecaterinburgo. De trem, saindo de Moscou, o passeio dura mais de vinte horas.

Por Alexandre Araújo