As trapalhadas da CBF

As trapalhadas da CBF

Desordem na entidade respinga na seleção de base

Jan Hurtado entrou driblando a zaga brasileira e chutou cruzado na saída do goleiro Felipe.  Venezuela 1 X 0. O número 9 infernizou os brasileiros. Fazendo o pivô, girando em cima dos zagueiros, puxando contra-ataques. Um azougue, diriam os mais antigos. O segundo gol do veio num lance de oportunismo. E a Venezuela saiu vencedora no confronto com a seleção sub-20 da CBF. 

Rodrygo, o atacante de € 45 milhões, foi expulso no fim da partida. Apagado, não conseguiu nenhum lampejo, sendo anulado pelo excelente esquema de marcação da seleção “vinho tinto”. O resultado da partida é histórico. Pela primeira vez os venezuelanos deixaram o campo vitoriosos contra o Brasil no sub-20. 

O resultado está longe de ser surpreendente. Se for feita uma análise, descobre-se a razão. O técnico Dudamel acumula o comando das seleções sub-20 e principal da Venezuela. Está fazendo um trabalho de dois anos. Fez 34 convocações e disputou vários torneios internacionais, dando rodagem aos seus jogadores. 

A seleção da CBF é treinada por Carlos Amadeu, que fez 6 convocações. Logo, não tem o conhecimento do grupo que o rival na partida de sexta-feira tinha. O trabalho de base do Brasil estacionou. Obviamente, foi dragado pela confusão política da CBF. Não se passa impunemente por Ricardo Teixeira, José Maria Marin e Marco Polo Del Nero. 


Acompanhando a transmissão do Sportv, soube-se que uma das soluções para tentar fazer com que os jogadores brasileiros recuperassem a alegria de jogar foi levá-los a uma churrascaria chilena. Inusitada a proposta. A julgar pelo resultado contra a Venezuela, pouco adiantou. A carne devia estar dura. 

Talvez esteja chegando o momento de se reconhecer que o Brasil  não é mais o país do futebol. A falta de planejamento matou a essência do esporte por aqui. Falta planejamento e falta profissionalismo. Na base, a Inglaterra domina, na principal a seleção francesa é o time a ser batido atualmente. 

 

Por Creso Soares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>